Alec Baldwin cria polêmica com seguidores ao minimizar movimento antirracista

Alec Baldwin
Alec Baldwin (Reprodução)

Alec Baldwin foi alvo de diversas críticas nas redes sociais nesta terça-feira, 02 de junho. O ator, de 62 anos, chamou a campanha americana antirracista BlackOutTuesday de “Dia Nacional de Qualquer Coisa”, após ser alertado sobre a mesma.

Anteriormente, ele havia usado sua conta no Instagram para divulgar seu podcast, em que entrevistava o diretor Woody Allen publicando uma foto do famoso diretor. Nisso, muitos seguidores começaram a questionar sua participação no ‘protesto virtual’, que consistia em colocar uma foto inteiramente preta no feed em apoio.

Balwin recebeu inúmeras mensagens que o chamavam de alheio, e alertavam para a campanha, sobretudo por estar usando o espaço bem no dia da campanha para divulgar algo sobre um cineasta (Allen) que está sendo acusado de abusar sexualmente de sua filha adotiva. Balwin deu espaço para que Woody falasse sobre o livro de memórias lançado por ele.

“O novo livro de Woody Allen, Apropos of Nothing, começa com um retrato de seu pai, um veterano da Marinha da Primeira Guerra Mundial e ex-atirador em um esquadrão de tiro. É a primeira de uma série de histórias surpreendentes e fascinantes de uma vida que passou do Brooklyn judeu da classe trabalhadora na década de 1940 para cenários de cinema em Roma e Paris”, diz a legenda da foto do ator.

Alec então foi logo nos comentários, e deu uma longa e nada agradável resposta explicando suas escolhas, avisando que precisava promover o episódio já que é um acordo feito com os convidados. “Fazemos todos os esforços para atender a esses pedidos. Allen não é exceção. Quanto à falta de sensibilidade percebida no #BlackOutTuesday, eu não fazia ideia sobre esse… dia nacional de qualquer coisa”, disparou.

“Três coisas: a vida profissional de algumas pessoas não pode ser suspensa pelos caprichos do politicamente correto. Acredito que Allen é inocente e esse é meu direito. Postar uma tela preta hoje ou em qualquer outro dia, embora seja um sentimento decente, não é uma postura política eficaz”.

Comentários