American Gods: Orlando Jones volta a falar sobre problemas de bastidores e expõe colega

American Gods (Imagem: Divulgação)

American Gods passa por um momento tumultuado desde o ano passado. A demissão de Orlando Jones, interprete de Mr. Nancy, continua rendendo e o ator voltou a falar sobre os problemas de racismo nos bastidores, expondo mensagens particulares recebidas de seu ex-colega de elenco, Ricky Whittle.

Para Jones, as palavras do interprete de Shadow Moon chegam com certa dúvida, por isso ele expôs os prints das conversas e basicamente não respondeu às mensagens. Ele apenas comentou as falas do protagonista da série de forma separada.

Whittle começa falando que tentou contato anteriormente com o colega, mas não conseguiu. “Usar a carta do racismo para queimar seus amigos é inteligente, mas ambos sabemos que é só incompetência e não racismo e nós fomos pegos no fogo cruzado. Você colocou a mim e ao elenco em uma posição ruim e isso é injusto. Eu entendo que você esteja bravo, entendo que eles te custaram dinheiro, nós totalmente te apoiamos em se tratando da incompetência, mas usar a carta do racismo para incitar trolls é uma tática ridícula e você sabe disso”, disse Ricky Whittle em um trecho.

Em contrapartida, Orlando Jones questionou: “Esse homem não tem ideia do que aconteceu entre mim, Freemantle e Starz. Nunca perguntou, nunca se importou. Agora ele me diz que ‘foi pego no fogo cruzado’. Ele ainda diz: ‘Eu estou usando a carta do racismo para queimar seus amigos’. Caramba! Espera, somos amigos? Uhul!”

Em outro momento, Whittle fala: “Você escreveu coisas lindas e realmente nos ajudou a vencer uma segunda temporada bem difícil, nós não entendemos aonde entra a carta do racismo. Eu te respeito muito e só queria saber o que aconteceu”. Já Jones disse: “Eu sinto muito que a minha demissão seja tão irritante para ‘vocês’. Quando Rodney B e eu consertamos ‘vocês’ na segunda temporada, ‘vocês’ estavam impotentes e ficaram agradecidos. O que faz você achar que as experiências de ‘vocês’ como atores são parecidas com as minhas como ator, roteirista e produtor? Como é que a minha vida é igual a de vocês? Como eu e ‘vocês’ somos parecidos?”

Confira a mensagem na integra:

Imagem divulgada por Orlando Jones (Reprodução/ Twitter)

Orlando Jones, além de atuar na 2ª temporada de American Gods, também serviu como roteirista. No entanto, ele acabou sendo demitido e não retorna para a 3ª temporada. As circunstâncias da demissão são alvo de acusações de racismo. Em entrevista concedida ao Geeks WorldWide no ano passado, Jones explicou que recebeu pedidos de Neil Gaiman, autor do livro que a série é baseada, do estúdio e do produtor Jessie Alexander para continuar escrevendo para American Gods. No entanto, ele diz que a produtora não quis pagar pelos seus serviços.

“Eles tinham que me pagar. Mas eles disseram não. Eu disse, ‘Isso é meio racista. Vocês pagam os caras brancos e eles escrevem de casa…’. A associação requer isso. É por isso que foi tão estúpido da parte deles ficarem tão bravos comigo sobre isso”.

O ator ainda revelou a razão pela qual alguns personagens foram desfavorecidos com relação a outros: “Eu sei que a Fremantle [produtora] não liga para os personagens não-brancos do show. Eles me disseram isso. Os showrunners são instruídos a focarem no Wednesday e Shadow Moon, mas realmente no Wednesday.” Ele acrescenta: “É por isso que na segunda temporada é ele quem conta a história de American Gods. Essa história deveria ter sido contada da perspectiva do Shadow Moon. Eles não escrevem pra gente porque eles abertamente disseram que rostos marrons não vendem bem na Europa.”

Em meio às polêmicas, a produtora Fremantle enviou um comunicado para explicar a situação. “As histórias que estamos planejando para a próxima temporada evoluíram continuamente para acompanhar a complexa mitologia do material de origem. Jones não fará mais parte da série porque Mr. Nancy, entre outros personagens, não aparecem na parte do livro que estamos focando na 3ª temporada. Não há nenhuma motivação oculta em nossa decisão”, disse [via Deadline].

 

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.