Anne Hathaway explica motivo que a fez aceitar, e construir papel em Modern Love

Anne Hathaway em Modern Love
Anne Hathaway em Modern Love (Reprodução)

Anne Hathaway e Hugh Jackman mataram a saudade de sua convivência em Os Miseráveis, em um bate-papo online entre atores promovido pela revista Variety. Em determinado momento, o astro de X-Men disse que uma profissional do set disse que Hathaway deveria ganhar um Oscar só por aparecer em cena, e questionou como havia sido o trabalho dela na série Modern Love.

“Eu tinha ao meu lado Terri Cheney, a mulher cuja história do meu episódio foi baseada. Falei com ela e fiz muitas perguntas. O que a irritava, o que a perturbava, o que ela achava que estava errado nas histórias sobre transtorno bipolar e por aí vai. Eu estava perguntando muito sobre a fisicalidade disso e sua experiência”, disparou.

Modern Love é uma série antológica da Amazon Prime Video, em que cada episódio conta uma história diferente, e independente. Todas elas são baseadas em histórias reais, que foram enviadas por leitores, ao jornal The New York Times. O episódio protagonizado por Hathaway, mostra incialmente a rotina de uma advogada, que facilmente se imagina como parte de um musical, em busca de amor.

Com o passar dos minutos de tela, o tom vai mudando e passando a ficar mais pesado, menos solar, com a revelação de que ela sofre com transtorno bipolar, o que a leva ter problemas pessoais e profissionais em diversos níveis.

“Eu nunca quero confundir meus sentimentos com o trabalho real. A razão pela qual eu queria fazer esse episódio era porque há alguém na minha vida que eu sei que nunca se vê na tela. O que me levou a esse personagem, e me levou a querer dizer sim a isso, foi porque eu só queria mostrar a essa pessoa que eu a amo e acredito que todos os que são assim, são dignos de amor”, explicou ela.

“Não quero explicar as razões pelas quais as narrativas têm sido assim. Sinto que foi muito baseado no conceito de bem e mal, preto e branco, sagrado e profano. Tenho certeza de que essas histórias absolutamente serviram a um propósito por um tempo, mas parece que estamos saindo desse tempo e entrando em uma área cinzenta”, disse ela ressaltando que o realismo das histórias toda tudo mais interessante que o maniqueísmo de outrora.