Antony Starr sobre sexo em The Boys: “menos íntimo e a mais surreal”

Capitão Pátria (Antony Starr) e Tempesta (Aya Cash) em The Boys
Capitão Pátria (Antony Starr) e Tempesta (Aya Cash) em The Boys (Reprodução)

Desde que apareceu pela primeira vez na tela como Capitão Pátria, Antony Starr deixou no público uma única impressão: o personagem era uma mistura maligna de Superman e Capitão América. Segundo o ator, ele não só é o todo poderoso de The Boys, como também é humanamente a mais fraca dentre todas as figuras do show.

Questionado sobre a cena de sexo com Tempesta (Aya Cash), ele disparou: “Foi muito estranho! Eu fiz um monte de cenas de sexo ao longo dos anos e esta foi de longe a menos íntima e a mais surreal. Havia tantas acrobacias e tantas atividades malucas envolvidas, que era mais como fazer uma cena de luta ou um balé. É passo a passo. Eu estava rindo como uma criança pensando ‘Que porra estou fazendo? Como eu cheguei aqui? Eu poderia ter sido advogado. O que estamos fazendo? Isso é uma loucura.’ E não necessariamente nessa ordem”, brincou.

Em uma entrevista recente, ele contou que a ligação de Pátria com  está além de uma luta de poder. “Você tem que olhar para dentro do Pátria. Ele é o personagem mais necessitado e emocionalmente mais fraco do show, e ele matou sua mulher/ comparsa/ amante, Stillwell. Por mais que acreditasse que era a coisa certa a fazer, ele é um menino carente e encontra alguém que o adora. Mesmo que não comece assim, quando eles chegam lá, ele encontra não apenas um substituto, mas um igual – alguém que ele pode usar com laser, mas não quebrar”, disse o ator, relembrando a forma como o herói matou a amante partindo seu crânio ao meio com o olhar.

Tempesta (Aya Cash) e Capitão Pátria (Antony Starr) em The Boys
Tempesta (Aya Cash) e Capitão Pátria (Antony Starr) em The Boys (Reprodução)

Representação simbólica dos conflitos

O ator falou que quando leu a cena em que Capitão Pátria confronta a si mesmo na pele de um doppleganger, até achou engraçado o fato de ter que vestir uma lingerie, mas preferiu manter um tom mais sóbrio no diálogo, porque era importante naquele momento mostrar o drama, e a essência perversa do personagem.

“Imediatamente, meu primeiro instinto é ver através de tudo isso e onde ele está se confrontando mentalmente. O que sai disso, de onde ele vem, e para onde isso leva a história, é crucial para o personagem durante temporada. Eu acho que essa cena representa simbolicamente o show muito bem. Temos uma configuração maluca e coisas muito grandes acontecendo, mas na verdade é um momento psicológico que encaixa tudo”.