Após críticas negativas, saiba como foi a bilheteria de Rambo na estreia

Rambo
Cena de Sylvester Stallone no trailer de Rambo: Até o Fim (2019) (Reprodução/YouTube – Lionsgate Movies)

Com várias reações negativas por parte da crítica especializada, Rambo: Até o Fim tem conseguido uma boa recepção diante do público em sua estreia. Lançado no dia 20 de setembro nos Estados Unidos, o longa protagonizado por Sylvester Stallone e dirigido por Adrian Grunberg (Get the Gringo), já arrecadou US$19 milhões no final de semana nos EUA.

Alcançando as expectativas, o filme estava numa disputa com “Ad Astra”, dirigido por James Gray. E vale lembrar que essa é uma das maiores estreias da franquia, ficando atrás apenas de “Rambo II – A Missão” (1985), que conseguiu US$20,1 milhões na estreia.

Com apenas 29% de aprovação no Rotten Tomatoes, o longa é mais uma prova de que nem sempre a crítica interfere na recepção do público. O mesmo aconteceu com os filmes da franquia de Crepúsculo. O CinemaScore fez uma pesquisa com quem assistiu ao quinto longa de Rambo e mostrou que o público gostou da produção, ao garantir uma nota B.

Mas para o escritor David Morrell, criador do livro que rendeu a franquia, o novo filme não foi bom. “Eu concordo com as críticas negativas de ‘Rambo: Até o Fim’. O filme é uma bagunça. Tenho vergonha de ter meu nome relacionado a ele.”, escreveu Morrell.

Veja a publicação do escritor:

Além Stallone dando vida ao personagem John J. Rambo, a produção conta com Paz Vega (The OA) como Carmen Delgado, Sergio Peris-Mencheta (Resident Evil 4: Recomeço) como Hugo Martinez, Adriana Barraza (Babel) como Maria Beltran, Yvette Monreal (Faking It) como Grabrielle e Óscar Jaenada (Os perdedores) como Victor Martinez.

“Rambo: Até o Fim” acompanha o personagem de Stallone vivendo no Arizona, onde se junta a uma jornalista para resgatar jovens mulheres vitimas de um esquema de tráfico sexual. O filme está em exibição nos cinemas brasileiros.

E para você que ainda não assistiu ao filme, veja o trailer:

 

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.