Apresentador do Catfish, da MTV explica como foi possível fazer o programa inteiramente remoto

Nev Schulman
Nev Schulman, apresentador de Catfish (Divulgação/ MTV)

Sucesso há quase 10 anos na MTV gringa, o programa Catfish está se preparando para estrear uma nova temporada, que será gravada de forma inteiramente remota. A atração visa contar as histórias de pessoas que mantém um contato amoroso com outras através da internet e nunca se viram pessoalmente. Muitas dessas histórias envolvem outras complicações, como pessoas que não aceitam aparecer para o outro, ou que até mesmo se escondem através de fakes. Segundo o criador e apresentador do programa Nev Schulman, houve uma apreensão inicial se aquilo daria certo naquele formato, já que muitas vezes o clímax dos episódios acontece quando o personagem do dia encontra seu objeto de desejo pessoalmente.

“Enquanto o encontro pessoal é uma parte importante e significativa do programa, já que essas pessoas querem ver o rosto e ouvir a voz da pessoa com quem estão conversando, decidimos fazer dessa maneira e a MTV estava animada para tentar. Fizemos um episódio experimental e claramente funcionou. Estávamos todos realmente empolgados com isso. Resolvemos muitas questões técnicas, mas assim que nos ajustamos, isso foi algo que nos permitiu contar as histórias e ajudar as pessoas. Percebemos o que precisava acontecer”, disparou.

Segundo o autor, além da dinâmica de trabalho que permite um contato maior, fazer o show dessa forma só pôde ser feito porque a tecnologia de 2020 abre esta porta, algo que não aconteceria em 2011 quando a atração começou.

“Eu acho que se isso tivesse acontecido em algum outro momento não daria certo, tivemos sorte porque aconteceu agora porque realmente temos a tecnologia como zoom, compartilhamento de tela e gravação de tela e todas essas ferramentas bastante recentes. Empregamos todos eles para permitir que Kamie [co-apresentadora] e eu olhemos para a mesma coisa ao mesmo tempo. É meio legal que Kamie e eu também possamos ter conversas paralelas enquanto conversamos com as pessoas. Podemos ter esses textos particulares por meio do iMessage, que é algo que você não pode fazer pessoalmente. Então, de uma maneira estranha, quase nos conectamos um pouco mais do que tradicionalmente”.