Arte conceitual mostra armadura “Shotgun” de Homem de Ferro 3

Cena de Homem de Ferro 3
Cena de Homem de Ferro 3 (Reprodução)

No Universo Cinematográfico da Marvel vimos que Tony Stark tem uma coleção enorme de armaduras, cada um com suas especificações, várias delas inclusive não existem nos quadrinhos. Phil Saunders publicou imagens conceituais em seu Intagram de uma das armaduras do Homem de Ferro que iria para o terceiro filme do herói. A armadura leva o nome de Mk XL “Shotgun”. Confira abaixo:

Saunders escreveu em uma das publicações: “Pela demanda popular … Homem de Ferro Mk40 ‘Shotgun’. Magro, levemente blindado e aerodinâmico, este traje foi projetado para velocidade extrema”. Ele descreveu sua visão para a armadura, dizendo: “Eu trabalhei para que os braços e as pernas se prendessem ao tronco para formar uma fuselagem rígida, mas, infelizmente, essa funcionalidade nunca foi destaque no filme. Foi feito para um dos meus favoritos Hot Toys, aliás!

Em Homem de Ferro 3 vimos na batalha final a Legião de Ferro, quando Tony Stark convocou todas as suas armaduras para lutar ao seu lado. O longa metragem teve direção de Shane Black e arrecadou US$ 1,215 bilhão em bilheteria. O elenco foi formado por Robert Downey Jr., Ty Simpkins, Rebecca Hall, Guy Pearce, Gwyneth Paltrow e Ben Kingsley.

Confira abaixo alguns comentários sobre o filme:

“O Homem de Ferro 3 ainda é marcado por essa desconexão entre a inteligência subversiva do diálogo de Stark e o clichê de tédio da ação” – Brian D. Johnson, Maclean’s Magazine.

“Por fim, ternos vazios que combatem capangas anônimos ainda é um espetáculo vazio, e acontece em desacordo com a jornada de Stark no filme” – Siddhant Adlakha, Slashfilm.

“Shane Black é excelente em escrever brincadeiras espirituosas, auto-referenciais e com infusão de pop, e não há ator trabalhando hoje que seja mais adequado para isso do que Robert Downey Jr” – Christopher Orr, The Atlantic.

“Downey é um ator brilhante que de alguma forma consegue interpretar Tony Stark como traumatizado, sem perder a qualidade descontraída e cômica do personagem” – Geoffrey Macnab, Independent (UK).