Artista compartilha um dos primeiros esboços de Ultron no MCU

Cena de Vingadores: Era de Ultron (Reprodução / Marvel)
Cena de Vingadores: Era de Ultron (Reprodução / Marvel)

O artista conceitual Charlie Wen que atualmente trabalha na Marvel, compartilhou em seu Instagram uma imagem conceitual de Ultron, que foi o principal vilão de Vingadores: Era de Ultron. Na publicação pode-se ver que a criação de Tony Stark teria um visual bem menos humanóide e mais assustador do que o que foi apresentado no filme.

Na publicação Wen escreveu: “Um dos primeiros esboços de Ultron que criei para Vingadores: Era de Ultron. Nos estágios iniciais, criamos legiões desses esboços apenas da cabeça ou do busto para ter sessões com o diretor e os produtores. Eu também pintei Ultrons que pareciam um pouco mais com algumas das versões de quadrinhos da época. Provavelmente também poderíamos ter conseguido exibir esses rostos mais estilizados na tela, mas, no final, acabamos com algo mais relacionável … mais humano”.

Vingadores: Era de Ultron estreou em 2015 e contou com a direção de Joss Whedon. O longa metragem conseguiu arrecadar US$ 1,403 bilhão em bilheteria. A trama mostra a tentativa de Tony Stark em usar um inteligência artificial para proteger o mundo, contudo, essa inteligência que o melhor é extinguir a raça humana. O elenco contou com Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Chris Evans, James Spader, Chris Hemsworth, Paul Bettany e Mark Ruffalo.

Confira abaixo o que a crítica achou do filme:

“É um épico que representa o melhor trabalho que o sistema corporativo de estúdios de Hollywood pode produzir. Com o trabalho de Whedon, isso não é nada elogio, é apenas uma declaração de fato” – Chris McCoy, Memphis Flyer.

“Os fãs da franquia ficarão satisfeitos, mas aqueles que olham de fora da cultura dos quadrinhos podem se ver também olhando para os relógios” – Cary Darling, Fort Worth Star-Telegram/DFW.com.

“O drama interpessoal que fez o primeiro filme tão prazeroso está novamente presente em flashes, mas não raramente é abafado pela barulhenta e inevitável necessidade de salvar o mundo” – Christopher Orr, The Atlantic.

Formado em administração e psicologia. Adora cartoons, animes e series animadas. Atualmente faz curso de desenho com especialização em cartoons.