As mudanças no Oscar para evitar que o fiasco da confusão dos envelopes se repita

Oscar

Todo mundo ainda se lembra do que aconteceu.

O Oscar 2017 foi marcado pelo maior fiasco da história dessa premiação, quando La La Land foi anunciado como vencedor na categoria Melhor Filme, dois minutos depois, o mundo descobria que, na verdade, o vencedor era Moonlingt.

Tal aborto da natureza precisava ser corrigido, e a Academia de Hollywood adotou várias mudanças para que isso nunca mais acontecesse.

Tim Ryan, presidente do segmento norte-americano da PwC, assumiu pessoalmente o erro e, desde então, trabalha com a Academia para melhorar o processo de manejo dos envelopes que guardam o nome dos vencedores.

Além do seu envolvimento direto no processo em 2018, as principais mudanças são as seguintes:

– Os dois responsáveis por essa parte no ano passado foram substituídos, mas seguem trabalhando para a PwC.

– Adicionaram uma terceira pessoa para garantir que tudo vai funcionar corretamente. Essa pessoa estará com os produtores do Oscar na sala de controle da premiação, e terá outro maço de envelopes com a identidade de todos os vencedores, atuando como um controle de segurança.

– Adicionaram um passo extra para garantir que os encarregados de apresentar cada categoria receberam o envelope correto. Tanto o apresentador da categoria em questão como o diretor de cena confirmarão que assim será feito. Esse passo é fundamental, uma vez que, no ano passado, Faye Dunaway e Warren Beatty ficaram vendidos no palco, uma vez que receberam o envelope de Melhor Atriz, e não o de Melhor Filme.

– Os três responsáveis pela PwC participarão dos ensaios, para assim praticar e identificar se algo está errado. No ano passado, eles demoraram demais para reagir diante do que aconteceu.

– Os três responsáveis pela PwC estão proibidos de utilizar os seus smartphones e as redes sociais durante a cerimônia do Oscar, evitando assim possíveis distrações desnecessárias.

Muitos entenderam na época que a Academia de Hollywood dispensasse os serviços da PwC depois do que aconteceu no ano passado. Porém, no final das contas, foi compreendido que tudo foi fruto de um erro humano, que em nenhum momento colocou em risco o sistema de votação do Oscar.

Um erro enorme, que deu a volta ao mundo. Mas um erro humano.

É muito difícil imaginar que algo parecido volte a acontecer no dia 4 de março.

Mas… se acontecer…

 

 

 

Via Chicago Tribune

bostancı escort