Assim como acadêmicos atuais, She-Ra e Steven Universo já propuseram sociedade sem polícia

She-ra e as princesas do poder
She-ra e as princesas do poder (Divulgação)

Nos Estados Unidos, os manifestantes foram às ruas para lutar pelo movimento Black Lives Matter, após a morte arbitrária de George Floyd. O problema é que as pessoas encontraram durante os protestos, a mesma truculência policial que as fez protestar. Isso fez com que cientistas sociais, acadêmicos, e políticos questionassem até que ponto a sociedade precisa de instituições policiais que “protejam”.

Ainda inimaginável a abolição de prisões é defendida por muitos, que cogitam que se tire verbas dessas instituições para poder melhorar as condições socioeconômicas das pessoas, assim tirando-as de uma situação vulnerável ao crime. Coincidentemente, os desenhos animados Steven Universo (Cartoon Network) e She-Ra e as Princesas do Poder (Netflix) já haviam abordado assunto em suas civilizações fictícias.

Steven Universo Futuro (Divulgação / Cartoon Network)

Em Steven Universo, as Crystal Gems (um quarteto de herois) usam bolhas para aprisionar Gems corrompidas. Tais bolhas mantêm os seres aprisionados de forma segura por tempo indeterminado, ou até que alguém estoure essa bolha. No decorrer da história, Steven descobre  que essa corrupção acontece por conta de eventos traumatizantes, normalmente relacionados à violência extrema.

Essa corrupção faz as Gems agirem de forma violenta e terem formas amedrontadoras, e isso pode ser relacionado à vida real como quando uma criança é exposta constantemente a ambientes hostis. Quando Steven descobre seus poderes de cura, ele acha que há uma forma de ‘descorromper’ as Gems, e que isso é melhor do que mantê-las presas em bolhas pela eternidade.

Essa possibilidade de cura é mostrada através da personagem Lapis Lazuli, que por muito tempo vivia revoltada com sua vida e agia de forma agressiva, até que Steven a curou e fez um tipo de processo de reabilitação com ela. Com isso, Lazuli se tornou membro do grupo Crystal Gems e passou a fazer o bem. O mesmo aconteceu com Peridot, que seguia cegamente as ordens das Diamantes, as governantes supremas das Gems.

Na temporada final, no episódio Change Your Mind, Steven se vê frente a frente com as Diamantes, e mostra a elas que o melhor caminho é a reabilitação das Gems em vez de usar violência e trancá-las em bolhas. A partir daí, Steven criou em Beach City, um centro de reabilitação de Gems, curando elas da corrupção e as reintegrando na sociedade através dos talentos que cada uma pode oferecer.

Em She-Ra, os protagonistas também evitam uma resposta retributiva aos personagens que se envolvem em comportamentos prejudiciais. Scorpia e mais tarde Felina são bem-vindos à Rebelião, uma vez que se comprometem a abandonar a Horda, um tipo de organização com valores deturpados.

E, assim como no Steven Universo, não há uma divisão clara entre antagonistas “ruins” e protagonistas “bons”. A princesa Entrapta se junta à Rebelião, mas muitas vezes machuca seriamente seus amigos e aliados com sua busca cega de avanço tecnológico; a disposição de Cintilante de usar a arma Coração de Etheria contra os desejos de seus aliados na quarta temporada expõe o planeta a um perigo incrível.

A ética abolicionista de Steven Universe e She-Ra começa com a visão de que toda a humanidade tem transgressores, mas ao invés de reduzir os indivíduos às piores decisões que tomaram, é aplicada a persistência para reconduzi-los. Qualquer pessoa curiosa sobre como a segurança e a responsabilidade podem funcionar sem o policiamento e as prisões em que confiamos, não precisa procurar mais do que os exemplos estabelecidos por Steven Universo e She-Ra. Ambas as produções estão presentes na Netflix.