Atacado nas redes sociais, Josh Trank, diretor de Quarteto Fantástico toma atitude

Josh Trank (Imagem: Reprodução)

Josh Trank, diretor de Quarteto Fantástico, realmente não nasceu para ser popular, sobretudo nas redes sociais. O profissional abandonou seus perfis na internet depois de inúmeros ataques online que recebeu depois de seu último filme Capone.

O filme biográfico estrelou Tom Hardy e se concentrou no famoso gângster Al Capone na fase final de sua vida. Trank foi muito mais positivo sobre esse longa do que sobre o Quarteto Fantástico, mas Capone também sofreu críticas mistas quando foi lançado no Vídeo On Demand, no início de maio. Alguns apreciaram os elementos ultrajantes que Trank colocou no filme, enquanto outros não ficaram tão impressionados.

O usuário de mídia social Dr. Sizzle percebeu que Trank excluiu recentemente seu Instagram e Twitter após trolls on-line terem o assediado tanto sobre Capone, quanto sobre Quarteto Fantástico. Antes de sua exclusão, Trank começou a responder a alguns dos trolls com respostas igualmente acaloradas.

“Quão egoísta e pretensioso pode ser um diretor? Resposta: Josh Trank”, escreveu um usuário, e Trank rebateu: “Diga na minha cara, que eu vou te dar uma porrada”. Em seu post final, Trank apoiou Capone, falou positivamente sobre o movimento Black Lives Matter, e pediu que as pessoas fizessem algo positivo com suas vidas. Confira abaixo:

Quando o diretor surgiu com pouco menos de 30 anos com o filme Chronicle, logo se transformou em um sucesso instantâneo, como uma espécie de novo queridinho de Hollywood. Ele foi chamado para fazer o spin-off de Star Wars, e o reboot de Quarteto Fantástico da Fox. Foi aí que os problemas começaram. O estúdio considerou o roteiro de Trank sombrio demais, e com a recusa dele em mudar, a Fox chamou outros profissionais para reescreverem. Quando o longa começou a ser filmado, mais problemas nos sets, como brigas nos bastidores, e o estúdio novamente se moveu, e chamou outra equipe para dirigir o filme. Segundo Trank, o filme embora esteja assinado com o seu nome, não é nada do projeto que ele concebeu. Ele foi massacrado com as críticas ao longa de 2015, e foi desconvidado de comandar o spin-off de Star Wars.