Ator de NCIS: New Orleans revela como coronavírus e protestos antirracistas afetaram a série

NCIS: New Orleans (Imagem: Divulgação)

Além das mudanças impostas a Hollywood devido à pandemia de coronavírus, as produções da TV norte-americana, em especial as séries policiais, terão que se adequar às novas demandas. A motivação vem em meio aos protestos antirracistas, que tomaram conta dos Estados Unidos, impulsionados pelo assassinato do afro-americano George Floyd por um policial branco, ao menos é o que pensa Scott Bakula, produtor e protagonista de NCIS: New Orleans.

 “Claro que vamos levar em conta tudo o que aconteceu nos últimos meses, mas ainda pode ocorrer muita coisa até nossa estreia”, contou o ator ao Notícias da TV. “Então precisamos considerar o que vai acontecer até lá”

New Orleans é o terceiro derivado da franquia NCIS e vai sofrer uma grande alteração no seu planejamento inicial. Isso porque, os roteiristas entenderam que os episódios não poderiam passar por cima da pandemia do coronavírus, que afetou Nova Orleans, cidade onde a trama é situada, no Estado da Lousiana, nos Estados Unidos, e na vida real registrou quase 80 mil casos e 3,3 mil mortes.

“Imagino que essa temporada vai ser diferente de todas que já fizemos até agora, por causa do coronavírus e de como isso afetou Nova Orleans. E, ao mesmo tempo, precisamos lembrar que é um escapismo da realidade também. Será que as pessoas vão estar saturadas de ouvirem falar de Covid-19 até lá?”, questionou.

As tensões raciais que afloram nos EUA devem pautar a série, que no Brasil está disponível apenas na TV por assinatura: “Vamos caminhar na corda bamba, para ser honesto, durante toda a temporada. Precisamos ser atuais para retratarmos a realidade da população sem deixar de ser entretenimento”. 

Atualmente, as gravações da série (a terceira, na franquia NCIS) estão paralisadas devido ao coronavírus, tema que deve ser retratado na produção: “Temos uma personagem [Loretta Wade, vivida por CCH Pounder] que trabalha como legista. E Nova Orleans foi muito afetada. Não dá para ignorar algo tão grande!”, sentenciou.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.