Ator de Power, da Netflix, Rodrigo Santoro revela parte mais difícil das gravações

Rodrigo Santoro em entrevista
Rodrigo Santoro em entrevista (Reprodução/ Collider)

Power, novo filme da Netflix está dando o que falar. O longa estrelado por Jamie Foxx e Joseph Gordon-Levitt mostra um universo em que uma droga comercializada nas ruas, faz com que pessoas tenham poderes de super-heróis por cinco minutos. Os personagens então passam a ter diferentes tipos de poderes, e efeitos colaterais. Enquanto, o personagem de Gordon-Levitt fica à prova de balas, o personagem de Rodrigo Santoro, Biggie, se transforma numa espécie de Hulk.

Segundo o ator em entrevista ao site Collider, o CGI não foi usado, e todo o processo de caracterização foi manual contando com muita maquiagem: “É um maquiador de Nova York chamado Mike Marino. Ele é um gênio. E eu vesti um traje [em] quatro peças, e passei nove horas na cadeira no primeiro dia para me arrumar, e fiz de tudo. Sou eu ali fazendo de tudo [em frente as câmeras], usando um traje de três peças e depois peças no pescoço e peças no rosto. Raspei todo o rosto e esse lado do bigode, era a única coisa que eu tinha, e o resto, o cabelo é falso. É tudo maquiagem e depois trabalho corporal fazendo o cara”, disse ele.

“Nesse filme tem muito pouco CGI, é muito realístico e filmamos por muitas horas, e a coisa mais interessante e complicada foi a coreografia de luta. Precisamos ficar muito focados. Fizemos uma vez, depois de novo. Voltamos, e fizemos mais uma vez. Mas o resultado na tela ficou muito bonito, e um trabalho muito duro, mas daquele tipo que ficamos orgulhos no final do dia e dizemos ‘Nós conseguimos gente’”, disparou o brasileiro que ainda explicou qual o superpoder mais chato, porém prático que gostaria de ter que gostaria de saber fazer caso possuísse pílulas do filme: “Panquecas. Eu amo panquecas, adoraria saber fazer boas panquecas”.