Ator e diretor comentam a relação de Ephraim e Thomas em O Farol

Cena de O Farol (Reprodução)
Cena de O Farol (Reprodução)

Como um bom filme de terror psicológico, O Farol vem fazendo os fãs  criarem todo o tipo de teorias. Protagonizado por Robert Pattinson como Ephraim e Willem Dafoe como Thomas, os dois personagens são colocados pra conviver em um farol isolado por quatro semanas. No decorrer do filme diversos segredos aparecem, e a relação dos dois fica cada vez mais conturbada, onde os dois vão sendo tomados pela loucura.

Em uma entrevista para o HuffPost, Robert Pattinson e o diretor Robert Eggers comentaram sobre a relação entre Ephraim e Thomas. Segundo Pattinson, o filme fala muito sobre o desejo, e frustrações sexuais, onde o farol foi descrito como “um pênis ereto” explicitamente no script.

O ator disse: “Não é realmente uma história de amor de várias maneiras, onde eles simplesmente não sabem o que fazer um com o outro? De muitas maneiras, você está pensando em quanto do relacionamento realmente está acontecendo. O personagem de Willem poderia ser apenas um chefe normal, mas há algum tipo de relacionamento sub / dom ou algo em que estou exagerando em minha mente o domínio dele sobre mim, porque eu quero isso de uma maneira estranha sempre parece um relacionamento muito sensual. Não se tratava apenas de um chefe e seu trabalhador. Além disso, ele também é meio bravo. Eu estava bastante consciente de como queria que o relacionamento se concretizasse. de muitas maneiras, ele meio que quer um pai”.

Para Eggers, o filme fala sobre masculinidade tóxica, algo que também foi percebido por Willem Dafoe: “Masculinidade tóxica! Eles estão apertando os botões um do outro por medo e por ameaças de quem eles são. E ambos são culpados. Eles têm um sentimento de culpa, de errado. Não há julgamento moral nesta história. É só assistir esses dois caras lutando para encontrar uma maneira de sobreviver, realmente … É uma história simples, mas tem raízes existenciais e identidades sobre masculinidade, dominação e submissão. E para melhor e para pior. Então você vê o flip-flop e é bem legal”.