Atriz de Vikings revela PERRENGUES vividos nos bastidores da série

Amy Bailey, como Kwenthrith em Vikings (Reprodução / History)
Amy Bailey, como Kwenthrith em Vikings (Reprodução / History)

Amy Bailey, intérprete da Rainha Kwenthrith, em Vikings, durante o segundo ano da série, fez algumas revelações sobre os bastidores da produção.  A atriz conta que o elenco da série de Michael Hirst consiste basicamente “de atores de método”, modalidade de atuação na qual os atores “encarnam” os personagens e se mantém no papel mesmo em pausas de gravação, o que Bailey afirma gerar problemas de set.

“Não vou citar nomes, mas acho difícil trabalhar com atores de método. Esse tipo de treinamento funciona muito bem nas cenas, porque tudo se torna mais intenso e real”, disse ela. “Mas quando eles não ‘saem do personagem’ nos intervalos da gravação. É tudo muito chato”, desabafou.

Bailey mencionou ainda que estes atores do “método” destratavam parte da equipe de produção. Sem mencionar nomes, ela afirmou: ““Você tem que cuidar das pessoas que cuidam de você. Em todos os projetos que já atuei, especialmente em Vikings, existe uma equipe trabalhadora que chega ao set horas antes do elenco e permanece lá horas depois de os atores irem para a casa”.

“São eles que pegam a nossa comida, as nossas bebidas, fazem a nossa maquiagem, nos dão os figurinos e nos colocam em tendas quentes enquanto todos os outros passam frio nas gravações”, descreveu.

“Infelizmente, nem todos tratam a equipe com o respeito que ela merece. Eu sempre ficava muito incomodada quando via atores tratando mal a equipe por ‘estarem no personagem'”, revelou.

Erros

Em entrevista recente ao History Extra, o criador da série Michael Hirst se defendeu dos erros que a série Vikings é comumente apontada em tópicos de debate em fóruns e grupos de discussão entre os fãs mais assíduos da produção.

“Eu tentei não ser muito inventivo. Nós queríamos nos manter autênticos. Uma pergunta que eu peço para Justin Pollard (consultor histórico da série) quando estou escrevendo é se é plausível ou não. Você não pode dizer que é fiel, porque ninguém sabe, mas pode dizer que é plausível”, declarou.

Hirst ainda comparou os furos tão recorrentes da série com outras produções de sucesso, como Game of Thrones. “Como escritor você tem que se perguntar se parece verdadeiro. Não estou escrevendo fantasia – isso aqui não é Game of Thrones, eu não tenho dragões. Eu não posso inventar, tem que parecer real. Uma das coisas que mais tenho orgulho é que o que nós fazemos parece real. Nosso elenco monta em cavalos e luta. Na última temporada, eles tiveram que pegar barcos de duas toneladas em rochedos. Isso mostra a realidade da série”,complementou o criador.