Atriz Gabrielle Union processa emissora de TV e famoso produtor por racismo

Gabrielle Union no Americas Got Talent
Gabrielle Union no Americas Got Talent (Reprodução)

A atriz Gabrielle Union está processando a emissora NBC alegando negligência numa situação de racismo e assédio que ela sofreu. O caso não é de hoje, e vem desde que ela deixou a bancada do reality show America’s Got Talent, de Simon Cowell, que também não ficou de fora da lista de pessoas com comportamento ofensivo citada por ela. De acordo com a revista People, no processo movido por Gabrielle, ela cita que o canal tentou silenciar suas críticas, e seu apelo em relação ao racismo dos colegas.

“Gabrielle informou a NBC sobre a conduta racialmente ofensiva durante a gravação do programa, o canal não a apoiou em sua ‘indignação por atos de racismo’”, explicou o advogado dela, Bryan Freedman à revista. “A NBC não se importou o suficiente para investigar prontamente as queixas de Union ou até mesmo pedir que o RH se envolvesse. Em vez disso, se opôs a ela”, completou o profissional explicando que a insatisfação da atriz já era nítida, até que ela pediu aos produtores que relatassem ao RH, uma piada ofensiva feita pelo comediante Jay Leno, que àquela altura estava como jurado convidado. O homem havia dito que os cães de Simon estavam no menu de um restaurante coreano. Gabrielle achou aquilo ofensivo e pediu providências, mas não foi ouvida, assim como outras situações envolvendo Black Face.

A revista PageSix obteve documentos que mostram que a atriz denomina a NBC como “covil de cobras de ofensas raciais”, e revelou falas preconceituosas, de outras estrelas da casa como Jimmy Fallon, e Ted Danson. O site Deadline ainda teve acesso ao documento, que também fala nominalmente de Paul Telegdy, presidente da NBC que teria feito um esforço para apagar tudo o que ela vinha alegando para não ficar mal com o resto da equipe.

“Telegdy contradiz suas declarações à mídia e pessoalmente desconsidera os ‘Princípios de Conduta Comercial’ da NBC (doravante, ‘Código de Conduta’) exigindo confidencialidade para investigações no local de trabalho entrando em contato com o agente da União e divulgando informações confidenciais obtidas durante a investigação em andamento sobre as preocupações da União em um tenta silenciar e intimidar Union de fornecer informações ao investigador sobre suas experiências”.

Em decorrência da saída dela em 22 de novembro, ela começou a mover o processo, e o presidente da emissora, assim como Cowell levaram a público na última semana um documento que dizia que em investigação interna, ninguém havia feito nenhum tipo de piada, e que a saída da atriz tinha a ver apenas com uma decisão contratual dela. Gabrielle Union criticou a declaração através de seu advogado dizendo que ao invés de levar a sério suas denúncias para promover mudanças reais no ambiente tóxico de trabalho, os executivos preferem culpar a vítima.

“Não há lugar para esse tipo de bullying racial no local de trabalho, e será necessário mais do que um tweet da NBC para demonstrar que a NBC pretende criar um ambiente livre de racismo”, disparou o advogado ao site Deadline.