Batman: O Cavaleiro das Trevas teve campanha de marketing bizarra

Heath Legder como o Coringa (Reprodução / Warner Bros.)
Heath Legder como o Coringa (Reprodução / Warner Bros.)

Batman: O Cavaleiros das Trevas foi um grande sucesso dos cinemas, principalmente por conta da atuação de Heath Ledger como o Coringa. O filme foi lançado em 2008 e a equipe de marketing trabalhou muito para divulgar o filme, e das formas mais bizarras possíveis, afinal, teria o maior vilão do homem morcego no longa metragem. Em uma entrevista para a IGN, o chefe criativo Alex Lieu contou quando decidiram colocar celulares dentro de bolos como forma de divulgar o filme de Christopher Nolan.

Lieu começou: “Tínhamos de arranjar um jeito de integrar celulares, e acho que tínhamos menos de duas semanas para achar uma maneira de executar isso. Tivemos essa ideia, e falamos com o escritório de Susan Bonds [Produtora da campanha] e falamos ‘Precisamos ligar para umas confeitarias.’ E ela respondeu ‘Do que você está falando’, ‘Nós vamos esconder celulares dentro de bolos.’ E ela disse, ‘Isso nunca vai acontecer’”.

E acrescentou: “Susan falou tipo, ‘Olha só, vou ligar para três confeitarias só pra agradar vocês.’ E cada uma delas respondeu tipo, ‘Ah, claro, podemos fazer isso. Sem problemas. Escondemos coisas em bolos o tempo todo'”. Com isso, vinte e duas confeitarias dos Estados Unidos produziram um bolo cada uma. Então, o fãs seguiam instruções para encontrar a guloseima. Os bolos vinham com uma decoração de palhaço e um número em cima, ao ligar para o número, o celular dentro do bolo começava a tocar.

“Levavam o bolo para fora e ligavam para o número, e o bolo começava a tocar. Então você cavaria o bolo e encontraria um saco de evidências da polícia de Gotham City com o celular do Coringa dentro. Pedimos que deixassem o celular carregado por todo o percurso da campanha, pois o Coringa podia ligar a qualquer momento”, relembrou Alex Lieu.

E finalizou o relato com uma das histórias mais estranhas: “Esse cara mandou a esposa ir pegar o bolo – mas era literalmente no meio de uma nevasca. Ela desapareceu por, tipo, uma hora, e as pessoas perguntavam, ‘Cadê sua esposa, cara? Você está mentindo? Conseguiu o bolo?’ E essa pobre mulher estava numa rodovia, em uma tempestade de neve, com um bolo do Coringa”.

Formado em administração e psicologia. Adora cartoons, animes e series animadas. Atualmente faz curso de desenho com especialização em cartoons.