BBC Studios produzirá série sobre ativista que foi eleita personalidade de 2019

Greta Thunberg
Greta Thunberg (Divulgação)

A BBC Studios anunciou que está fazendo uma série de TV com Greta Thunberg, jovem de 17 anos considerada personalidade do ano de 2019 pela revista americana Time. A garota sueca é uma ativista ambiental, líder do movimento em prol da greve nas escolas para que os estudantes protestassem pelo clima em seu país

 De acordo com as poucas informações disponíveis, a produção mostraria sua jornada para a vida adulta. Nenhuma emissora está por trás da série, e nem seu título nem seu número de episódios foram definidos. O projeto foi anunciado pela própria BBC Studios nesta segunda-feira, 10 de fevereiro, em um evento Showcase que acontece em Liverpool.

A série de Thunberg acompanhará a cruzada climática global, e contará com uma bancada de especialistas que vão expor a ciência por trás de sua missão. Produzido pela unidade científica da BBC Studios, o programa também promete compartilhar os momentos de silêncio da vida da menina, aqueles em que ela prepara seus discursos, e reflete sobre sua vida como nenhuma outra adolescente faria.

“Ser capaz de fazer isso com Greta é um privilégio extraordinário, obtendo uma visão interna de como é ser um ícone global”, disse o produtor executivo Rob Liddell. A equipe da BBC tem acompanhado Greta Thunberg em diversos momentos, desde sua greve na escola em Estocolmo, até mesmo suas chegadas aos parlamentos, entre outros protestos internacionais. Em alta, ela também é o assunto de um documentário produzido pelo Hulu que deverá ser disponibilizado ainda este ano sobre o trabalho dela.

“Ela conseguiu criar uma mudança de atitude global, transformando milhões de vagas ansiedades em um movimento mundial que pedia mudanças urgentes. Ela ofereceu um apelo moral para aqueles que estão dispostos a agir e lançou vergonha para aqueles que não o são. Ela concentrou a atenção do mundo nas injustiças ambientais que jovens ativistas indígenas protestam há anos. Por causa dela, centenas de milhares de adolescentes ‘Gretas’, do Líbano à Libéria, deixaram a escola para liderar seus colegas nas greves climáticas em todo o mundo”, publicou a revista Time anteriormente.