Trabalho Insano: brasileira relata os bastidores da Pixar

Nancy Kato
Nancy Kato (Reprodução)

Muita gente já se perguntou como deve ser trabalhar na Pixar fazendo animações, e uma brasileira tem a resposta. Seu nome é Nancy Kato. Paulistana, ela se formou Arquitetura e Urbanismo, e foi para os Estados Unidos para um mestrado em computação gráfica e após trabalhar nos efeitos especiais de alguns filmes como Abracadabra (1993), ela foi contratada pela empresa ligada à Disney em 1999, durante o processo de finalização de Toy Story 2.

Em Dois Irmãos – Uma Jornada Fantástica, Nancy passou a trabalhar no departamento de fixes, que corrige falhas na animação. A profissional explicou em uma matéria feita pelo UOL que seu departamento está presente durante todo o processo do filme e não apenas no final. “No começo ainda é novidade, então não tem muita coisa para corrigir ainda. À medida vai chegando mais ao final do processo, precisa de mais ajustes na animação”, explicou.

“É um trabalho muito detalhado, de muita paciência. Um animador que faz uma cena faz segundos por semana. Eu faço uma cena e falo ‘olha, não pisca porque você vai perder’, são vinte e quatro quadros por segundo. Trabalhando com fixes, você tem que ter um olho bem apurado para ver se a animação tem uma performance correta”, disse Nancy revelando que uma equipe de um longa de animação tem centenas de pessoas trabalhando.

A animadora contou que o trabalho de um profissional desta área durante a produção de um filme consiste em começar a rotina indo até a uma sala junto com o diretor do longa, e cada um apresentar seu trabalho cenas que passarão pelo crivo de toda a equipe, e depois vai fazer novas cenas, com a supervisão do diretor que passa verificando todo o trabalho.

Segundo Kato, o trabalho é tão intenso que chega a adentrar os finais de semana e contou uma curiosidade: As vozes dos atores são gravadas antes da animação ficar pronta. “É um trabalho muito detalhado, de muita paciência. Um animador que faz uma cena faz segundos por semana. Eu faço uma cena e falo ‘olha, não pisca porque você vai perder’, são vinte e quatro quadros por segundo. Trabalhando com fixes, você tem que ter um olho bem apurado para ver se a animação tem uma performance correta”.