Cacau Protásio é vítima de ataques racistas de bombeiros durante gravação

Cacau Protásio
Cacau Protásio (Imagem: Divulgação)

Cacau Protásio, conhecida por seus inúmeros trabalhos repletos de bom humor e animação, está envolvida em um novo longa de comédia intitulado “Juntos e Misturados”. Na trama ela dá vida a uma sargento do corpo de bombeiros. Infelizmente, um dia de gravação, que seria mais um momento rotineiro na vida da atriz, acabou se transformando em uma situação bastante desagradável e inaceitável. Cacau sofreu ataques racistas enquanto gravava uma cena do último domingo, dia 24, no quartel da corporação de bombeiros no centro do Rio de Janeiro.

A atriz usou as redes sociais para explicar o ocorrido e recebeu inúmeros comentários de apoio por parte de famosos e fãs. Ela destaca como foi bem recebida e assessorada pelo corpo de bombeiros enquanto gravava as suas cenas, e se diz triste com esse caso. “Tem um bombeiro que fez um vídeo de uma cena solta e espalhou por aí’, conta. “Eu faço um filme, eu conto história, aquilo ali é ficção, não é realidade. […] E isso é muito triste, não entendi porquê tanto ódio”, diz Cacau em um dos vídeos publicados em seu Instagram.

Infelizmente, em meio a pessoas boas, existem aquelas que não tem o minimo de respeito. Um bombeiro do quartel, que assitia às gravações, registrou o momento em que Cacau Protásio e outros artistas faziam determinada cena. Ele divulgou o vídeo em um grupo do Whatsapp e proferiu várias ofensas: “Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do Vai que Cola, aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz. Qual é a desse comandante? Vai deixar uma p… dessas no pátio do quartel?”. O registro foi divulgado por Leo Dias, do Uol.

Outro profissional também contribuiu com as ofensas no mesmo grupo, destilando ódio e proferindo comentários racistas e homofóbicos. “Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável”, disse.

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro já afirmou que está apurando o caso para identificar a pessoa responsável pelo áudio com as ofensas e diz que não tolera qualquer tipo de discriminação.

“Eu sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz, eu conto história, eu conto ficção, eu não mereço ser agredida assim como nenhuma pessoa”, disse Cacau.

O autor dos comentários infelizes e discriminatórios está cometendo o crime de injúria racial.

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.

bostancı escort