Camila Morgado revela sensação ao viver vítima de violência doméstica em Bom Dia, Verônica

Bom Dia, Verônica (Imagem: Divulgação/Netflix)

Dona de personagens fortes como Olga Benário e Manuela, de A Casa das Sete Mulheres, Camila Morgado revelou que sofreu dificuldade para dar vida a Janete, uma mulher vítima de violência doméstica e abre mão da própria identidade, na série Bom Dia, Verônica que estreia na Netflix, nesta quinta-feira (1º).

“Fazer a Janete foi muito difícil, para falar a verdade, por conta de toda a carga emocional dela. É uma pressão constante, ela e o Brandão [Eduardo Moscovis] vivem numa tensão, quase que um filme de terror. Interpretar a vítima, o tempo inteiro, é um processo complicado. Fisicamente, é um lugar ruim de se ocupar”, lamenta ela em entrevista ao Notícias da TV.

A trama é baseada no livro de mesmo nome escrito por Raphael Montes e Ilana Casoy e acompanha Verônica, interpretada por Tainá Müller, que passou a investigar um golpista que engana vítimas na internet e acaba descobrindo que mantém a esposa, personagem de Camila, em cárcere privado.

Verônica, então, tenta convencer Janete a prestar queixa contra Brandão, mas acaba sendo surpreendida já que ela acredita ser responsável por todos os maus-tratos, por ter uma dificuldade para engravidar. A mulher acredita que um filho traria felicidade ao marido.

“Eu precisava que essa história fosse contada de uma maneira que passasse por todos os estágios da vítima. Ela tinha de ser bem retratada, verossímil. Tem o momento de vergonha, de culpa, de responsabilidade… A Janete não compreende que aquilo é uma agressão. Até começar a ser acolhida, entender que não é responsável, e sim vítima, ela passa muito tempo sendo manipulada pelo agressor”, analisa a atriz.

Camila acredita que o tema apesar de chocante sirva como um alerta para tantas mulheres que sofrem do mesmo mal. “Por meio da ficção, a gente pode falar de um tema bem real, e as mulheres que passam por isso talvez se identifiquem com a situação que veem na TV. Porque não é só a violência física, tem o abuso psicológico também”, ressalta. 

“Eu acho fundamental a gente falar de um tema tão urgente. Tem que pressionar a sociedade, abrir para reflexão. A violência doméstica aumentou muito durante a pandemia, a gente percebe o quanto o machismo é estrutural. A sociedade normatiza essa questão, mas precisa ser falado, tem que dar nomes. O nome disso é violência doméstica, e ela tem que ser denunciada”, disparou.

Com oito episódios Bom Dia, Verônica conta ainda com Silvio Guindane, Cesar Melo, Antônio Grassi, Elisa Volpatto, Adriano Garib e Sacha Bali, entre outros em seu elenco. A primeira temporada completa estreia na Netflix, nesta quinta-feira (1º).

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.