Chadwick Boseman: Estrela de Pantera Negra presta homenagem ao amigo

Lupita Nyong’o e Danai Gurira (Imagem: Reprodução)

Na última sexta-feira, 28 de agosto, o anúncio da morte do ator Chadwick Boseman pegou o mundo de surpresa. Ele estava há quatro anos tratando um câncer de cólon, e nunca abriu sobre a situação publicamente. Mesmo após o diagnóstico, ele continuou a trabalhar bastante, e neste período fez pelo menos sete filmes, entre eles seu mais famoso, Pantera Negra, da Marvel. No longa, ele interagia diretamente com Danai Gurira, estrela de The Walking Dead, que na história deu vida a Okoye, general da Dora Milaje, exército de mulheres de Wakanda.

Ambos compartilharam muitos momentos de tela, e até mesmo fora dela, e a atriz resolveu assim como seus colegas de estúdio, como Chris Evans, Robert Downey Jr, Chris Hemsworth entre outros,  prestar uma última homenagem a ele, compartilhando uma conexão pessoal. “Como você homenageia um rei?”, perguntou ela em suas redes sociais.

“Como você homenageia um rei? Cambaleando com a perda de meu colega, meu amigo, meu irmão. Lutando por palavras. Nada parece adequado. Sempre fiquei maravilhada com o quão especial Chadwick era. Um cara tão puro de coração, profundamente generoso, real e divertido. Todo o meu trabalho como Okoye era respeitar e proteger um rei. Honrar sua liderança. Chadwick tornou esse trabalho profundamente fácil. Ele era o epítome de bondade, elegância, diligência e graça. Em muitas ocasiões, eu pensava em como era grata por ele ser o protagonista com quem eu estava trabalhando. Um verdadeiro ato de classe. E tão perfeitamente equipado para assumir a responsabilidade de liderar a franquia que mudou tudo para a representação negra”.

“Ele fez com que todos se sentissem amados, ouvidos e vistos. Ele desempenhou papéis grandes e icônicos porque possuía dentro de si aquela conexão com a grandeza para poder trazê-los tão ricamente à vida. Ele tinha um espírito heroico, e marchava ao som de seu próprio tambor; daí sua excelência como artista e a incrível coragem e determinação ao enfrentar os desafios da vida; enquanto ainda guiava a todos nós. Ele era zen, doce e engraçado (com a melhor risada), atencioso e realmente bom. Eu não consigo nem envolver minha mente em torno dessa perda. Uma perda ressoando em meu próprio coração e também em todo o mundo. As crianças que ele inspirou, meu coração dói por elas, para perderem seu herói assim que finalmente o encontraram. Estou muito grata por ter feito a jornada dos Panteras Negras com ele. Por tê-lo conhecido, passado um tempo em sua luz e liderança e chamá-lo de amigo para sempre”, escreveu ela finalizando com “Lala Ngoxolo Kumkani”, que significa “descanse em paz” em xhosa, idioma sul-africano.