South Park (Reprodução)

Conhecida há anos como uma das produções mais controversas da televisão americana, a série animada South Park exibiu recentemente um episódio no qual criticava a relação dos Estados Unidos com a China. Como retaliação, o país tomou uma atitude chocante.

Em ‘Band in China’, o segundo episódio da 23ª temporada, o roteiro criticou a forma como Hollywood – em especial a Disney – tende a rever e moldar seu conteúdo para evitar que filmes e séries sejam banidos na China, que representa uma fatia gigante do mercado do entretenimento. Os criadores Trey Parker e Matt Stone assumiram os riscos, e agora lidam com as consequências.

Segundo o The Hollywood Reporter, toda e qualquer menção à série foi deletada da internet no país, onde o acesso é extremamente controlado e limitado pelo governo. Isso inclui todos os episódios anteriormente disponíveis em serviços de streaming, clipes e até mesmo menções à série em fóruns de discussão online e redes sociais.

O veículo chama a atenção especialmente para a plataforma Weibo, a mais famosa da China, uma mistura de Instagram e Twitter, na qual uma busca por ‘South Park’ tem zero resultados e uma mensagem informando que “De acordo com as leis e regulamentos relevantes, essa sessão está temporariamente fechada”.

A resposta do país, apesar de extremamente dura e retrógrada, infelizmente está de acordo com o autoritarismo do governo, que afirma prezar pela “moral e os bons costumes” do povo chinês. Outro exemplo que chamou a atenção foi o banimento do inocente personagem Ursinho Puff, que passou a ser comparado ao presidente Xi Jinping.

Renovação

Apesar das polêmicas, nos E.U.A a série foi renovada para os próximos 3 anos, ficando segura assim até no mínimo a sua 26ª temporada, totalizando o incrível número de 327 episódios. A produção ainda fica atrás de outra animação que sempre deu o que falar, Os Simpsons, com 662 capítulos.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui