Chris Evans explica motivo pelo qual se empenha em ser referência para as crianças

Chris Evans
Chris Evans (Reprodução)

Chris Evans revelou algo curioso sobre a própria carreira e disse que adora servir de exemplo para as crianças, algo que chamou atenção em seu personagem, o Capitão América da Marvel. O ator conversou com Paul Rudd para a série Actors on Actors da revista Variety, onde atores entrevistam outros atores mutuamente,  e revelou que acredita no poder do personagem a partir do momento que enxerga o MCU como algo formativo, já que as crianças dessa geração nunca conheceram outro Capitão América a não ser ele, e por isso, ele faz o possível para dar um bom exemplo.

Ele espera que seu trabalho como Steve Rogers, de 2011 a 2019 sirva também como propósito para uma nova geração. “É sim um pouco assustador. Mas isso é tão legal. Eu não sei você, mas eu cresci com Star Wars e eu tinha certos personagens que apenas significavam o mundo para mim. Vivemos em um tempo muito diferente agora”.

“Quando eu era jovem, a celebridade estava muito longe. E os atores só eram acessíveis através de seu trabalho. Agora, você tem outro canal onde pode oferecer mais de quem você é, o que é uma corda bamba complicada para andar, mas é bom poder compartilhar um pouco mais, especialmente interpretando um personagem que eu respeito muito, e tento criar esse nexo entre o trabalho que faço e o impacto que ele pode ter nas crianças. É muito legal quando uma criança te admira”.

“Que coisa estranha, de certa forma muito indigna, sabe? Você é apenas um ator. Mas é bom sentir que a interação pode ser mais do que, não sei. Eu conheci Hulk Hogan quando era mais jovem e essa foi a melhor coisa que eu já vi na minha vida. Sem desrespeito a Hulk Hogan – mas às vezes você conhece pessoas em que sua identidade se confunde com elas, de certa forma”, continuou ele. “Você começa a aspirar a coisas e é motivador. Acho que o papel em si traz muito disso para a discussão.  É bom interagir com as crianças, especialmente quando elas se afastam, sentindo algo que o personagem já colocou na cabeça”, concluiu ele.