Cineasta britânico acusa Amazon Prime de censurar seu filme na plataforma

Reino de Deus
O Reino de Deus (Reprodução)

Fracis Lee, cineasta britânico responsável pelo filme O Reino de Deus, lançado em 2017, acusou a Amazon Prime americana de censurar seu longa ao disponibilizá-lo para streaming. Através de seu perfil no Twitter, ele disse que a versão que está na plataforma não é o filme que ele fez.

Posteriormente, ele postou um tweet sugerindo que eram as cenas de sexo íntimas no filme – que retratam um relacionamento entre um jovem agricultor interpretado por Josh O’Connor (agora conhecido como The Crown) e um trabalhador migrante interpretado por Alec Secăreanu – e que isso foi alterado na Amazon contra a sua vontade.

“Estou interessado se algum de vocês tem evidências de a Prime Vídeo Estados Unidos censurar mulheres nuas ou cenas íntimas/ sexuais dentro de histórias heterossexuais em seu serviço de streaming. Ou se eles apenas censuram histórias ‘estranhas’?”, perguntou ele em tom irônico devido a ser filme ter uma cena de sexo homossexual.

O site Deadline pediu a Amazon uma explicação sobre o ocorrido. Através de uma nota, a empresa explicou que Reino de Deus foi um filme enviado diretamente pelo distribuidor, no caso, Samuel Goldwyn, e que a versão enviada possivelmente visou alcançar diferentes classificações indicativas, para não entrar no que o serviço chama de ‘filmes maduros’, e por isso o próprio distribuidor cortou as cenas de sexo, porém o diretor não parece ter sido informado sobre isso. O veículo entrou em contato com Samuel Goldwyn que não respondeu.

O filme Reino de Deus estreou no Festival Sundance em 2017, ganhando o prêmio de diretor mundial de cinema. Foi nomeado para o BAFTA e garantiu um lançamento nos Estados Unidos pela Orion Pictures. Recentemente, Lee dirigiu o romance de Kate Winslet e Saoirse Ronan, Ammonite, que deveria estrear em Cannes este ano antes do cancelamento do festival por coronavírus.