Co-criador do Justiceiro toma atitude sobre o uso indevido do símbolo do personagem

O Justiceiro (Reprodução)

A últimas semanas estão sendo marcadas por uma onda de protestos ao redor do mundo contra o racismo. Tudo começou quando afro-americano George Floyd foi assassinado por um policial em Minneapolis, Estado Unidos. Logo protestos começaram e a campanha Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), que também é o nome de ONG que luta contra o racismo, começou a ganhar força. Tais protestos atingiram principalmente os policiais, por conta de sua abordagem violenta.

Porém, um outro movimento começou, o Blue Lives Matter (Vidas Azuis Importam), promovido pelos próprios policiais que querem que a violência contra eles seja julgada como crime de ódio. E um dos símbolos usados por esses policiais na campanha é a caveira estilizada de Frank Castle, o Justiceiro, um dos mais famosos anti-heróis da Marvel. O justiceiro é conhecido por ser um personagem extremamente violento e que não costuma deixar criminosos vivos.

Com isso, um campanha se iniciou entre vários autores de HQs para que o símbolo do Justiceiro não fosse usado por policiais. Escritores e desenhistas como Mags Visaggio (Vagrant Queen), Matt Wilson (Supreme Villainy), Eric Palicki (Dead Beats) e Kat Verhoeven (Meat and Bone) se uniram pedindo para que a Disney e a Marvel processem os policiais que usarem indevidamente a caveira estilizada usada por Frank Castle.

Gerry Conway, o co-criador do anti-herói, teve a ideia de reunir jovens artistas para reivindicar o símbolo e apoiar o movimento Black Lives Matter. No Twitter ele escreveu: “Procurando jovens artistas de quadrinhos de cor que gostem de participarem de uma pequena arrecadação para o BLM para reivindicar a caveira do Justiceiro como um símbolo de justiça ao invés de processão policial ilegal. Responda e siga assim enviaremos uma DM”.

Em seguida, ele explicou melhor a campanha:  “Esse pequeno projeto está aberto para quem quiser contribuir com seu tempo e esforço. Não é algo que vai ser pago, é para levantar fundos para apoiar o Vidas Negras Importam. Eu espero poder usar vários artistas com uma variedade de estilos e abordagens artísticas”.

Ele finalizou: “Eu concordo que isso é uma questão em aberto. O que não pode ser é um símbolo de opressão. Eu quero negar que a polícia use esse símbolo reivindicando ele para o VNI. Pode chamar de ironia. Eu espero que os resultados falem por si mesmos”.

Formado em administração e psicologia. Adora cartoons, animes e series animadas. Atualmente faz curso de desenho com especialização em cartoons.