Compra e venda de videogames usados: cuidados a serem tomados

Os videogames estão entre nós há quase 50 anos, e hoje em dia é quase tão interessante olhar para trás e relembrar os grandes consoles que passaram quanto olhar para frente e esperar por tudo que ainda está por vir.

Claro que é uma paixão de nicho e existem casos e casos, mas o mercado de videogames antigos ou, ao menos, usados é uma verdadeira forma de garimpo para os fãs. Naturalmente que é diferente comprar um Atari 2600 de 1977 e um PlayStation 4 com alguns meses de uso, mas a pergunta básica é a mesma: quando vale a pena investir num usado?

Saber o que procurar

Claro que o primeiro ponto a ser debatido na busca de um console usado é especificar. Mesmo ficando apenas no mainstream da indústria dos games, são dezenas de modelos diferentes lançados nas últimas décadas.

Uma regra, porém, é bem simples: quanto mais antigo, mais raro, e quanto mais raro, mais caro. Para completar isso, ainda temos o fator mais perigoso de todos: quanto mais antigo, maior o risco na hora da compra, simplesmente pelos fatores técnicos e de conservação do aparelho.

Esta pesquisa encomendada pela Betway fala sobre quão danificados podem estar os aparelhos cuja manutenção não foi bem-feita. Quem está na busca por um usado precisa levar isso em consideração, uma vez que o risco de um console antigo ter sofrido alguma avaria por mau uso de donos anteriores existe.

A pesquisa publicada pela Betway, site de eSports bets, também fala sobre perigos à saúde que um videogame mal limpo ou que não esteja em boas condições de higiene pode oferecer – e os dados são assustadores.

O número de colônias de bactérias pode chegar perto da centena em um controle de videogame e também pode aparecer o temido mofo se não for feita uma limpeza adequada e manutenção necessária.

É válido lembrar disso não apenas na hora de comprar um console usado, mas também para cuidar do seu.

Saber onde procurar

Uma vez que você está decidido sobre qual console é o que você precisa, seja ele um modelo recente que esteja mais barato ou a realização de um sonho de reaver um modelo antigo de quando era criança, é hora de começar as pesquisas.
Existem diversos sites de vendas de usados, e ali é um bom ponto para começar a ter uma boa noção do que o mercado tem a oferecer. Note, porém, que muitos dos anúncios nesses sites são de aparelhos com defeito, funcionando parcialmente ou às vezes completamente inúteis, precisando de reforma.

A internet, claro, é o primeiro ponto de busca e serve para medir o mercado como um todo em termos de preço, oferta e demanda. Isso não quer dizer, porém, que o negócio precise ser fechado online.

Existem muitas lojas físicas de console por todo o Brasil (e no exterior, claro), ainda mais com a febre dos e-sports bombando e cada vez mais produtos “gamer” aparecendo.. É muito provável que haja também na sua cidade, e fazer um pouco de pesquisa de campo pode ser uma boa ideia, especialmente se o lugar onde você morar tiver algum centro comercial especializado.

Para ilustrar, é o caso da região da Santa Ifigênia, em São Paulo, polo de eletrônicos de todos os tipos e com diversas lojas e quiosques que mexem com videogames novos e usados.

Vendendo seu console usado

Quem está interessado em vender um console, seja para conseguir dinheiro para o próximo, seja porque simplesmente se tornou um objeto sem uso na casa, precisa considerar essa possibilidade assim que for às compras – na verdade, até antes.

Embora o valor seja muito menor, comprar um videogame muitas vezes não é diferente de comprar um carro; é preciso pensar no valor da revenda, mesmo que seja lá na frente. Videogames desvalorizam de maneiras diferentes entre si, e isso nunca deve ser ignorado.

O que serve como dica geral, porém, é o cuidado a ser tomado com o aparelho. Estamos falando de um eletrônico que, por mais moderno que seja no momento, será datado algum dia. Mantê-los nas melhores condições, portanto, é essencial para um bom preço na revenda. Isso inclui manutenção interna e externa, testes regulares (caso ele esteja sem uso) e assim por diante.

Comprando jogos antigos ou usados

O conceito de jogos virtuais, isto é, que não exigem presença de mídia física para funcionarem, é um fenômeno das últimas gerações de videogame, o que quer dizer quem for comprar um console mais antigo (via de regra, da geração PS2 para trás) precisa se preocupar com a oferta de jogos.

Claro que muitas produtoras oferecem retrocompatibilidade para seus jogos antigos e consoles mais novos, mas em termos de videogames de gerações passadas, a busca pelos jogos é tão importante quanto aquela pelo console em si.
Novamente, os marketplaces são um bom lugar para pesquisar, bem como as lojas físicas, mas aqui mora um perigo extra: a quantidade de pirataria envolvida. Suspeite de preços muito baixos e, se possível, peça para ver o jogo sendo testado (seja online ou pessoalmente). Isso certamente vai diminuir a chance de você ter uma dor de cabeça desnecessária com seu investimento.

 

Jornalista especializado em entretenimento, consumista de streaming e cinemaníaco de carteirinha.

bostancı escort