Confira o novo pôster sinistro de Os Novos Mutantes

Os Novos Mutantes (Imagem: Divulgação)

Após alguns problemas e adiamentos, Os Novos Mutantes finalmente está chegando. E enquanto aguardamos abril, que é quando o filme será lançado, a conta oficial do longa no Twitter divulgou um novo pôster sinistro.

Confira:

 

Dirigido por Josh Boone, que também atua no roteiro ao lado de Knate Lee, o filme segue cinco jovens mutantes que precisam lidar com o passado enquanto descobrem o alcance de seus poderemos presos contra a vontade em um sinistro hospital.

O longa conta com Anya Taylor-Joy no papel de Illyana Rasputin/ Magia, Maisie Williams como Rahne Sinclair/ Lupina, Charlie Heaton como Sam Guthrie/ Míssil, Blu Hunt como Danielle Moonstar/ Miragem, Henry Zaga como Roberto da Costa/ Mancha Solar e Alice Braga como Dra. Cecilia Reyes. Antonio Banderas, Happy Anderson, Colbi Gannett e Sarah Bennani completam o elenco.

Os Novos Mutantes chega aos cinemas no dia 2 de abril.

Assista ao trailer:

 

Filme Único

Em entrevista recente ao ComicBook, Anya Taylor-Joy promete que os fãs não ficarão desapontados com a nova história, destacando que o longa é “único”. “Eu acho que [o filme] é diferente de tudo que eu já vi no sentido de que você tem várias coisas em jogo onde, é claro, somos super-heróis, mas o Josh [Boone, diretor] nos trata como pessoas. No centro da história, você tem esses adolescentes que estão crescendo então estamos batalhando contra coisas diferentes. É uma história sobre amadurecimento e você também tem a escuridão que vem com isso, momentos engraçados e também nossos poderes. É algo bem único”, disse a atriz.

Após alguns problemas na produção e adiamentos, o filme finalmente chegará aos cinemas em abril. Esse é o primeiro depois da aquisição da Fox pela Disney. E com isso, surgem algumas dúvidas sobre a história, se ela poderia ter alguma ligação com os demais longas dos X-Men. Ao Digital Spy, o diretor Josh Boone disse que há referências as produções anteriores que ele espera um dia poder fazer as conexões.

“Há referências e coisas que acontecem que fazem parte do todo maior, mas queríamos muito que ela fosse estética e autônoma por conta própria. É muito fundamentado e muito credível, e, como filmamos em um local real, ele nunca parecerá um filme típico de quadrinhos, onde há muita tela verde, e tudo parece que há um brilho pintado de CGI nele”, conta.

O diretor ainda acrescenta: “Realmente estamos buscando algo que não seja um filme independente, mas um pouco mais difícil que isso. Tenho certeza de que, em algum mundo no futuro, essas coisas se conectarão, mas esses filmes permanecerão por conta própria”.