Conheça a mitologia por trás dos elfos do filme Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars

Festival Eurovision da Canção (Imagem: Divulgação/ Netflix)

A Netflix lançou recentemente o filme Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars, musical que conta com Will Ferrell e Rachel McAdams nos papéis principais. A comédia é centrada na Islândia e conta com uma forte tradição local como pano de fundo: os elfos.

Lars (Ferrell) desde criança teve o sonho de participar do Eurovision, popular competição europeia de música, e contou com a ajuda da amiga Sigrit (McAdams), sua melhor amiga de infância para montar uma dupla chamada Fire Saga. Graças a inúmeras circunstâncias eles acabam entrando no concurso, mas têm vários problemas durante seus ensaios e outras apresentações.

Algo que chama atenção em algumas cenas é a forte crença da protagonista nos elfos, chegando a levar oferendas para eles e fazer pedidos, embora eles não apareçam. Eles são chamados Huldufólk pelos islandeses, e por lá sua representação é bastante semelhante ao que os nativos acreditam.

Segundo a mitologia do país, as criaturas vivem entre as rochas, e normalmente são calmas e pacíficas, espelhando alguma atividade humana, como a religião. Os elfos estão dispostos a fazer pechinchas e sempre mantêm sua palavra. Mas, se um humano ameaça suas casas, tornam-se extremamente territoriais.

O filme se desvia da mitologia em um aspecto: o tamanho dos elfos. Segundo os islandeses, esses elfos são na verdade do mesmo tamanho que os humanos. Seria preciso se aproximar para distinguir se são humanos ou de fato eles. Além disso, o filme da Netflix mostra os elfos que vivem entre as rochas, aparentemente concordando com as barganhas propostas por Sigrit, e agindo quando se sentem ameaçados. [SPOILERS À SEGUIR] Os elfos invisíveis chegam até mesmo a agredir um homem.  Excêntrico, e exagerado, o filme foi rotulado pela gigante do streaming como pastelão, e tem o roteiro de escrito pelo próprio Will Ferrell.