Cena da premiada atriz Elisabeth Moss no remake do filme O Homem Invisível, que estreia em 2020 e já está sendo chamado de “filme polêmico” (Imagem: Divulgação)

Para aqueles que já assistiram ao filme Coringa e participaram de toda a discussão envolvendo o filme, da suposta ideia do imaginário de violência à tensa trama do filme, chegou agora uma nova informação. O filme dirigido por Todd Phillips e estrelado por Joaquin Phoenix parece ter ganhado um concorrente. Trata-se, segundo o Comic Book Resources, de O Homem Invisível.

O site listou o remake do famoso clássico de terror dirigido por James Whale e lançado em 1933 como ainda mais polêmico que o longa de Phillips. Isso porque, em artigo publicado em seu portal, o CBR afirma que o filme estrelado pela atriz e produtora norte-americana Elisabeth Moss tem um fundo de misoginia e apresenta uma história retrógrada por conta disso, trazendo cenas de opressão à mulher.

Ao que tudo indica, o longa, dirigido e roteirizado por Leigh Whannell, ainda vai dar o que falar. O filme, que tem data de lançamento agendada inicialmente para 28 de fevereiro de 2020, deve dividir a opinião da crítica e também do público. Na trama, a personagem de Moss é uma brilhante cientista, que acaba desaparecendo na calada da noite e se esconde com sua irmã (vivida por Harriet Dyer) e ainda com seu amigo de infância (feito pelo ator Aldis Hodger) e sua filha adolescente (feita por Storm Reid).

Porém, o destino faz com que o ex-marido de Cecilia Kass, que é interpretado pelo ator Oliver Jackson-Cohen, cometa suicídio, deixando assim uma gorda fortuna. Mas Cecilia acaba suspeitando que a morte foi forjada. Para uso da fortuna, ele estipula a condição de que ela não pode ser considerada mentalmente instável. No fim das contas, tudo é um jogo criado por ele para atacar sua mulher e aterrorizá-la, levando à insanidade.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui