Sylvester Stallone como Rocky Balboa
Sylvester Stallone como Rocky Balboa (Imagem: Divulgação)

Sylvester Stallone demonstrou todo o seu descontentamento, em entrevista à revista Variety, por não ter os direitos autorais do Rocky Balboa, protagonista de filmes de ação responsável por tornar o ator como um dos ícones de longas do gênero, que estrelou o seu primeiro em 1976, em Rocky: Um Lutador. 

O astro hollywoodiano não escondeu o seu ressentimento por não ter o herói em seu nome. “Quando Rocky 2 saiu [em 1979] e fez um monte de dinheiro, e depois Rocky 3 [em 1982] lucrou mais ainda, eu disse para os produtores que gostaria de ter uma parte dos direitos autorais. Afinal, eu criei o personagem”, contou. 

“Isso nunca aconteceu. Eu não sou dono de nada da franquia Rocky. Meu advogado [Jake Bloom] me disse que eu não podia ter os direitos autorais. Que isso não acontecia em Hollywood. Ele me disse: ‘Olha, eles estão te pagando bem por esses filmes, não reclame'”, acrescentou ele.

Stallone culpou a si mesmo por não continuar a disputa pelo personagem com o estúdio. “Eu estava preocupado com outras coisas naquela época. Quando chegamos a Rocky Balboa [filme de 2006 que reviveu a popularidade do personagem e do ator], eu estava em uma posição fraca para negociar”, confessou.

“Os filmes de Rocky passam na TV ao redor do mundo. Fizemos seis filmes dele, e agora também temos Creed e Creed 2. Eu amo Hollywood, não me leve a mal. Meus filhos e meus netos estão com a vida ganha por causa de Hollywood. Mas há cantos escuros nesse ramo, e as pessoas às vezes só querem f*** com você”, disparou.

Stallone também lembrou a fase tenebrosa da sua carreira quando fez filmes que não foram bem em bilheteria e sua credibilidade ficou em baixa. “Eu entrei em uma onda de fracassos, e foi intensa. Parecia que eu estava acabado mesmo”, recordou. “Nem meus agentes queriam trabalhar comigo”, contou. 

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui