Criador de The Walking Dead, Robert Kirkman, conta que foi tratado como lixo na Marvel

Robert Kirkman
Criador de The Walking Dead, Robert Kirkman (Imagem: Divulgação/AMC)

Criador de The Walking Dead, uma das franquias mais lucrativas da cultura pop atualmente, Robert Kirkman já teve outros trabalhos antes de escrever o universo dos Rick Grimmes e companhia, inclusive na Marvel Comics. Embora tenha ficado muitos anos por lá, ele relatou em entrevista recente que sua experiência não foi dar melhores, afirmando que foi tratado como lixo, devido às medidas restritivas.

“Foi muito restritivo. Quero dizer, eu tenho um ótimo relacionamento com Tom Brevoort [Editor Executivo da Marvel e vice-presidente sênior de publicações]. Acho que ele era um editor fantástico, eu adorava trabalhar com ele. Joe Quesada e eu não nos damos bem”, disse Kirkman para a ComicTropes. “Havia muitas coisas pelas quais fui culpado e quando tentava explicar, eles ficavam mais bravos comigo”, disparou ele.

Kirkman permaneceu na Marvel de 2004 a 2010, tempo em que Quesada era editor-chefe co-criando as séries Marvel-Zombies, e The Irredeemable Ant-Man. Ele relatou ainda, que no caso específico de uma das edições de Homem-Formiga, balões com textos apareceram na capa de uma publicação sem o seu conhecimento, algo que ele não gostava.

“Chegou ao ponto em que eles não promoveram algumas das minhas revistas. Diziam que era porque minhas revistas eram de um nível mais baixo, e não cabiam dentro do orçamento de marketing que existia. Só faz sentido comercializar as revistas que vão fazer receita, e eu sempre fui realista quanto a minha estatura ou falta dela na Marvel enquanto estive lá”, contou o autor, que disse ainda que quando resolveu promover ele mesmo suas revistas, foi barrado por seus chefes, que diziam que ele precisava de uma permissão para dar entrevistas falando de suas criações.

“Você quer que eu faça as revistas, mas não posso tentar vende-las? Eu não entendo. Eu tinha trabalhado na Image Comics, e é o melhor lugar em que você pode trabalhar isso, inclusive tentando você mesmo promover suas revistas, mas aí eu fui para a Marvel, e isso foi lido por eles como arrogância. Não é que eu me importava mais com as revistas do que com seus desenvolvedores, eu me importava com tudo da revista”, disparou.