Crítica detona The Witcher e chama série de “Game of Thrones genérica”

The Witcher
The Witcher (Reprodução/YouTube – Netflix)

A crítica resolveu pegar pesado com algumas produções neste fim de ano. E a série The Witcher, produção disponível em sua primeira temporada no catálogo da plataforma de streaming norte-americana Netflix, não escapou das avaliações mais ácidas. Entre as principais avaliações, algumas chegaram a atribuir nota F à produção e também afirmaram que a série é uma “Game of Thrones genérica”.

A revista Entertainment Weekly afirmou que a série é “totalmente terrível”. O destaque foi atribuído já no título da avaliação do veículo, que ainda definiu a série com a qualidade “F”. “The Witcher é cheia de conflitos confusos e rivalidades que precisam de muitas explicações, mas mesmo assim não fazem nenhum sentido”, diz a análise do veículo, que foi assinada pelos jornalistas Darren Franich e Kristen Baldwin.

O The Hollywood Reporter, por sua vez, também foi categórico e pediu que a Netflix ordene aos roteiristas que editem outra vez os capítulos da primeira temporada da série. “Há muito papo furado para poder fazer qualquer elogio aos roteiristas. Muitas cenas estagnadas e maçantes para elogiar a direção”, disse a análise elaborada pelo The Hollywood Reporter.

E o jornal The New York Times não ficou para trás. O veículo não se esquivou de fazer uma comparação que, com certeza, não agradou a muitos: “Game of Thrones agora tem a sua versão genérica”. Além dessa comparação, a crítica indicou que a produção e o roteiro de The Witcher apontam para “[…] uma série sobrenatural do Syfy. Estão mais para uma aventura exibida na TV em uma manhã de sábado do que para um projeto prestigiado para ir ao ar nas noites do domingo”.

De forma geral, a série também afundou no agregador de reviews Rotten Tomatoes, que contabiliza as críticas emitidas pelos veículos, atribui um consenso com base nos pareceres emitidos e também soma uma nota de aprovação e recomendação. Até o momento de encerramento deste texto, a primeira temporada da trama tem apenas 57% de recomendação.

Possui Mestrado em Comunicação e Graduação em Jornalismo. Pesquisa cultura pop e também trabalha com o tema.