Divaldo – O Mensageiro da Paz (Divulgação)

Divaldo Pereira Franco, hoje aos 92 anos, é o médium espírita vivo mais famoso do Brasil e um dos mais conhecidos no mundo, com mais de 50 anos devotados à espalhar os ensinamentos da doutrina para milhões de pessoas através de palestras e mais de 250 livros publicados. Em Divaldo – O Mensageiro da Paz, porém, quem conhecemos não é ainda o mito, mas sim apenas Di, como era chamado pela família quando criança.

O filme do diretor Clovis Mello acompanha o médium nascido em Feira de Santana na Bahia durante três fases distintas da sua vida: na infância, vivido pelo ator mirim João Bravo, como adolescente interpretado por Guilherme Lobo (Hoje Eu Não Quero Voltar Sozinho) e como adulto por Bruno Garcia. Vemos seu desenvolvimento de um garoto assustado que começa desde cedo a enxergar pessoas que ninguém mais vê – espíritos -; até a compreensão do seu verdadeiro papel na terra.

As atuações são em sua maior parte corretas, com destaque para a mãe Dona Ana, vivida pela talentosa atriz e cantora Laila Garin que emociona em várias cenas, e para Regiane Alves como o espírito amigo Joanna de Ângelis, que está ao lado de Divaldo desde os primeiros anos. Seu contraponto é Marcos Veras como um espírito maligno que persegue Divaldo também desde criança, e cuja verdadeira motivação é revelada mais adiante no enredo. 

O aspecto biográfico, em si, é interessante, e a mensagem de amor e caridade extremamente importante, independente de religião, porém o roteiro peca ao não conseguir dosar corretamente os momentos mais leves e os diálogos mais corriqueiros com monólogos demorados e cansativos sobre o significado do espiritismo e aspectos mais teóricos da doutrina, que podem ser um prato cheio para os praticantes, porém correm o risco de alienar o público em geral. A direção de arte, bastante cuidadosa, vale ser mencionada e é outro ponto positivo.  

Começo

Impossível não comparar o longa a outro título biográfico recente, “Kardec”, sobre o homem que desenvolveu a prática como a conhecemos hoje. Nele, o diretor Wagner de Assis conseguiu explorar com mais sucesso o elemento de ficção, resultando em uma cinematografia mais fluida e roteiro conciso, passando informações importantes e ao mesmo tempo entretendo o público.

No geral, “Divaldo – O Mensageiro da Paz” tem bons momentos e irá satisfazer aqueles que desejam conhecer mais a fundo um dos principais expoentes do espiritismo na atualidade. Distribuído pela Fox Film do Brasil, o longa chega aos cinemas dia 12 de setembro.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui