She-ra e as princesas do poder
She-ra e as princesas do poder (Divulgação)
  • por Victor Hugo Morais

Nos últimos tempos, tornou-se comum reviver clássicos do passado, e geralmente os mesmos são refeitos mantendo a essência das levas anteriores. É o caso das temporadas recentes de Will & Grace ou Gilmore Girls, por exemplo.

Mas nem sempre é assim. Quando foi anunciada a retomada de She-ra, os fãs do desenho ficaram em polvorosa, especialmente porque tanto a princesa guerreira quanto seu irmão, He-man, tiveram poucos episódios nas séries originais. E diferente dele, She-ra ainda não tinha ganhado um filme ou uma nova série.

A nova versão de She-ra estreou no ano passado dividindo opiniões. Nada de roupas sexies, corpos no estilo Barbie ou a protagonista gritando ser She-ra, logo após se transformar na guerreira gritando “pela honra de Grayskull”. Sim, é um choque para qualquer um que cresceu acompanhando a animação se deparar com o formato atual.

Mesmo porque, os vilões continuam os mesmos, mas quase não vemos Hordak ou Sombria, Felina é quem ganha destaque. Madame Riso, Vassourito, Corujito, só em participação especial e breve.

Apesar de tudo, She-ra e As Princesas do Poder tem seu valor. Antes, a série tinha episódios isolados, cujas histórias se encerravam a cada exibição. Agora, a temporada tem continuidade e tudo caminha para um desfecho. Basicamente virou “novela”, gera o desejo de saber o que vai acontecer em seguida.

Especialmente na relação entre Felina e She-ra, que fica em evidência, mostrando que apesar de terem se separado, ainda se adoram. A questão é que se gostam e querem retomar a amizade, mas o fato de estarem em lados diferentes dificulta tudo.

ALERTA DE SPOILERS!

Na segunda temporada, vimos Sombria enganando Felina e fugindo da prisão. Enquanto isso, Felina mais uma vez decepcionou Hordak. Ainda, teve uma outra prova de que She-ra realmente foi atualizada para os tempos atuais.

Conhecemos os pais de Arqueiro, um casal homossexual que foi muito bem aceito por She-ra e Cintilante. Ou seja, temos mais uma produção gerando representatividade e levantando a bandeira da igualdade.

E para os nostálgicos, a temporada ainda rendeu um episódio especial com os personagens usando vestimentas similares as da versão original, além da trilha sonora dos anos 1980. Os responsáveis pelo desenho resolveram presentear os nostálgicos e o resultado foi um verdadeiro furor nas redes sociais. Uma bela homenagem!

Em resumo, temos uma nova She-ra, adaptada aos novos tempos e que, assim como a anterior, merece nossa atenção!

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui