Special da Netflix
Série Special da Netflix (Divulgação)
  • por Victor Hugo Morais
ANÚNCIO

Se você tem preconceito com homossexuais, pode parar a leitura por aqui. Caso contrário, siga, pois não é uma série da Netflix sobre isso. Ou melhor, não é o foco de Special. Ryan é gay, tem PC (paralisia cerebral) e é esse o ponto alto, gerar uma discussão sobre um assunto tão pouco explorado na dramaturgia.

Tanto, que ele começa um novo emprego como estagiário e, ao começar a falar sobre o que havia lhe acontecido, menciona um atropelamento. Imediatamente, pensam que é esse o motivo por ele mancar. Ryan adora, já que não quer falar sobre sua PC.

O protagonista quer ser independente, após uma vida preso, cercado pela mãe. Quer emprego, amigos, amores. Sair totalmente do armário, o que inclui sua homossexualidade e limitação física.

A questão, e o que torna Special ainda mais interessante, é que essa libertação também atinge a mãe, abandonada pelo marido e que dedicou toda sua vida ao filho. Como será acordar no dia seguinte sozinha, com uma vida toda para recomeçar?

O detalhe interessante é Jessica Hecht. Não a reconhece pelo nome? E se eu te disser que se trata da Susan, de Friends? Sim, ela dá vida à mãe de Ryan. Além dela, que rouba a cena, se destaca também Punam Patel, a adorável nova amiga de Ryan.

Ah, ainda tem Marla Mindelle como a chefe xarope do protagonista, mas que, com suas opiniões muitas vezes desnecessárias, acaba empurrando Ryan para sua libertação, o faz pensar.

A saber, Special é escrita e protagonizada por Ryan O’Connell, inspirado em seu livro I’m Special: And Other Lies We Tell Ourselves. Outro produtor executivo é bastante conhecido do público de séries, Jim Parsons, o Sheldon Cooper de The Big Bang Theory.

Tem dois momentos da primeira temporada que merecem ser citados. Primeiro, quando Ryan perde a virgindade. Que cena linda! O parceiro dele foi tão fofo, amigo e carinhoso, que era tudo que ele precisava naquele momento de descoberta em meio às suas limitações.

O segundo, o final. É revoltante o que acontece ali (sem spoilers!), mas, ao mesmo tempo, deixa um gancho para mais conflitos na segunda temporada. Não perca tempo e devore, são apenas oito episódios de 15 minutos cada!

Afinal, todos temos nossas limitações, e é uma excelente oportunidade de nos reavaliar pelo olhar de Ryan.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui