Curta brasileiro em animação narrado por Rodrigo Santoro é finalista no Emmy 2020

A Linha (Imagem: Divulgação)

Rodrigo Santoro foi indicado ao Emmy de 2020 por seu trabalho no curta-metragem A Linha. Com passagens pelo festival de Veneza e na Mostra de São Paulo, a produção brasileira do estúdio Árvore foi nomeada ao maior prêmio da televisão e concorre entre os finalistas na categoria “Inovação em programação interativa” (Innovation in Interactive Programming).

A Linha é uma experiência de realidade virtual narrativa. Nela, o expectador interage com uma miniatura em brinquedo de uma cidade (Inspirada na São Paulo da década de 40) e é convidado a explorar a história de amor entre Pedro e Rosa, contada na voz de Rodrigo Santoro. Concorrem outros cinco projetos ao lado da produção brasileira, e há até mesmo a chance de nenhum sair vencedor.

A pandemia de Covid-19 impediu que a equipe da produção viajasse a Los Angeles, EUA, para apresentar o projetopessoalmente aos jurados. “Por conta da pandemia, ninguém pôde fazer isso”, contou o diretor Ricardo Laganaro, ao UOL. “Então enviamos a apresentação e participamos da banca por videoconferência”.

Laganaro ainda contou como recebeu a notícia da indicação. “Fomos avisados alguns dias depois do anúncio das séries indicadas. Recebemos um e-mail informando que éramos um dos finalistas e que haveria um processo de avaliação que passaria por uma banca com 20 jurados”, contou.

Devido a pandemia, a viagem aos Estados Unidos, que faria parte do processo, e não aconteceu. “Como é uma categoria de experiências de formato diferente, eles montam uma estrutura em que os times finalistas vão para Los Angeles e recebem os jurados. Por conta da pandemia, ninguém pôde fazer isso, então enviamos a apresentação e participamos da banca por videoconferência”, explicou.

“É uma história de amor simples. Quando você pensa em realidade virtual, você pensa em histórias fantásticas ou coisas mais pesadas. Uma história de amor em São Paulo não é algo que as pessoas esperam ver em ‘VR’ ainda. É um filme sutil, uma experiência da qual todo o mundo sai feliz”, finalizou.

Neste ano, outros cinco projetos, além do brasileiro, também concorrem. A decisão sairá entre 14 e 17 de setembro, dias antes da cerimônia de premiação marcada para o dia 20.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.