Cuties: Condado do Texas processa Netflix alegando divulgação de obscenidade

Mignonnes - Cuties
Mignonnes – Cuties (Reprodução)

Mesmo depois da estreia, o filme francês Cuties ou Mignonnes como é chamado tanto em seu país de origem, como no Brasil, continua causando na Netflix mundo afora. Um júri do Texas indiciou a gigante do streaming por divulgar através da obra, material considerado obsceno. O condado de Tyler foi responsável por mover o processo, alegando que de acordo com uma lei estadual, é proibida a exibição obscena dos órgãos genitais ou da área púbica de uma criança nua, vestida, ou parcialmente vestida. A Netflix recorreu que para ser ilegal, o material deveria apelar ao interesse lascivo por sexo, ao invés de ter valor literário, artístico, político ou científico sério.

Em comunicado a empresa comandado por Ted Sarandos respondeu: “Cutie’ é um comentário social contra a sexualização de crianças pequenas. Esta acusação não tem mérito e nós manteremos o filme”. O promotor do distrito do contato de Tyler, que acusou a Netflix é Lucas Babin, um ex-modelo, que ficou conhecido por namorar a socialite Paris Hilton, e que no Brasil interpretou o personagem Nick, rival de Tião (Murilo Benício) na novela América (2005). Através de sua página no Facebook, ele disse: “sabia que havia uma causa provável para acreditar que era um crime. Os legisladores deste estado acreditam que a promoção de certos materiais obscenos de crianças tem consequências destrutivas. Se esse material é distribuído em grande escala, não é necessário?”.

Mignonnes conta a história de Amy, uma garota senegalesa que mora na França e se vê dividida entre seguir as tradições familiares, ou tentar se encaixar com as garotas de sua idade, que são fatalmente influenciadas pela cultura, e pelas mídias sociais. Na história, o grupo de amigas tenta ganhar um concurso de dança com coreografias sexualizadas que veem artistas e outros grupos fazendo.  O CEO da Bac Films, responsável por produzir o longa comentou os protestos americanos que o filme recebeu antes do lançamento em entrevista à revista Variety: “É escandaloso nos acusar de promover pornografia infantil. Acho que os protestos vêm da ala direita – de uma orla do ultraconservador”. Vale lembrar que Babin é filho de um congressista republicano americano, e que em março deste ano, o ex-ator de novelas chegou a acusar legalmente um homem de fazer alarme falso por ele ter publicado no Facebook que tinha testado positivo para Covid-19.