Dados apontam que variedade do catálogo da Netflix caiu 40% em 5 anos

Stranger Things
Cena de trailer da 3ª temporada de Stranger Things, conteúdo original Netflix (Reprodução/YouTube – Netflix)

Ninguém pode negar que a Netflix é a maior plataforma de streaming do mundo. Mas essa é uma realidade que pode ser temporária. E isso não apenas pela chegada da concorrência – que veio com estilo e muito peso nos últimos tempos, mas também porque o mercado está sempre em movimento. Um grande exemplo disso é a televisão aberta. Há 30 anos ninguém imaginaria que a Globo, por exemplo, estrearia programas originais na internet para exibi-los na televisão mais tarde, caso do GloboPlay.

Retornando à Netflix, a companhia foi ganhando popularidade na última década e conquistou muitos fãs por aí. Um dado publicado pelo site Comic Book, no entanto, mostra como a chegada de outros serviços e finais de contrato mudaram o catálogo da poderosa nos últimos tempos. De 2014 até aqui, a distribuição de conteúdo não original caiu em nada menos que 40%. E a queda deve aumentar ainda mais nos próximos anos.

Conteúdo original x concorrentes

Segundo dados divulgados pela publicação, cerca de 6.500 produções apareciam no catálogo há pouco mais de 5 anos. Agora, esse número é de 3.849, que é um número bastante diferente. O fato é que a empresa tem investido cada vez mais em conteúdo original, algo compreensível e bastante competitivo. Afinal de contas, sabia-se da intenção de outras companhias há algum tempo. E muito do conteúdo por contrato seria perdido.

Além disso, muitos assinantes da Netflix são viciados nas séries e filmes de grande sucesso que chegam apenas à plataforma. Distribuir conteúdo ainda é um grande forte da empresa, mas a ideia é que ela se torne rival de grandes estúdios na produção de longa-metragens, séries e até realities. Resta saber, é claro, se uma fatia do público não vai preferir se mudar para as concorrentes. Além do recém-chegado Disney+, existem outras nas disputa, como a Amazon Prime Video, Apple TV+ e até a HBO Max, que ainda não foi lançada.

Formado em Marketing, é apaixonado por assuntos relacionados a entretenimento e televisão, no geral. Viciado em redes sociais e conteúdo para a web, acompanha esses tópicos há cerca de 15 anos. Ex-colaborador de outros sites de entretenimento.