Dave Filoni comenta se Luke Skywalker iria para lado negro da força

Cena de Star Wars: A Ameaça Fantasma (Reprodução / LucasFilm)
Cena de Star Wars: A Ameaça Fantasma (Reprodução / LucasFilm)

O site Comic Book divulgou um bate papo com Dave Filoni que aconteceu durante a Disney Gallery: The Mandalorian. Filoni é conhecido por ter trabalhado por anos com George Lucas na saga Star Wars, e ajudou a tornar um sucesso as séries Clone Wars, Rebels e Mandalorian. Durante a conversa, Dave Filoni principalmente sobre o filme Star Wars: A Ameaça Fantasma, em destaque a Batalha do Destino, que aconteceu entre Qui-Gon Jinn, Obi-Wan Kenobi e Darth Maul.

Dave Filoni contou que tal cena é vista pelos fãs  apenas como uma luta legal de sabres de luz, contudo, para o escritor, essa luta é o momento mais importante de toda a saga, pois é onde o destino de Anakin Skywalker é decido. Ele explicou que a morte de Qui-Gon Jinn foi o ponto de ruptura de Anakin, que até então só tinha ele como figura paterna, e isso abriu espaço para que o Imperador pudesse manipular o garoto como quisesse.

Em o Retorno de Jedi vimos a luta entre Darth Vader e seu filho Luke Skywalker. Questionado sobre se Luke poderia ter ido para o lado da força, Dave Finoli respondeu que sim, o protagonista poderia ter se unido aos Sith. Contudo, ele escolheu não matar o Imperador, e Anakin escolheu desistir de seu poder para ser o pai que Luke nunca teve. “Eu acredito que Luke se voltaria para o lado negro em O Retorno de Jedi”, disse Filoni.

Ele acrescentou: “Acredito que estava tudo na cara, acredito que ele mataria o Imperador. A única coisa que vai salvá-lo não é sua conexão com a Força, não são os poderes que ele aprendeu, nem todas essas coisas são uma vantagem para ele. Mas o que salva Luke é sua capacidade de olhar para tudo isso, olhar para seu pai e dizer: ‘Não. Vou jogar fora essa arma. Eu vou deixar isso passar e ser altruísta. E ele diz: ‘Eu sou um Jedi como meu pai antes de mim’. Mas o que ele está realmente dizendo, e por que me conecto tão poderosamente a ele, é: ‘Eu amo meu pai e não há nada que você possa fazer para mudar isso. O imperador não consegue entender essa conexão'”.

E finalizou: “‘Por que você não aceitou alguém lhe oferecendo o poder da galáxia? Por que você não aceita isso?’ E Anakin, então, naquele momento, tem que decidir ser o pai que nunca teve. Ele tem que desistir de todo o poder da galáxia e salvar seu filho. Este é o ato altruísta que ele faz em troca de seu filho e é isso que o salva. Então o filho salva o pai e o pai salva o filho e tudo funciona perfeitamente. E eu traço essa linha desde A Ameaça Fantasma até Retorno de Jedi. Essa é a história de Guerra nas Estrelas”.

Formado em administração e psicologia. Adora cartoons, animes e series animadas. Atualmente faz curso de desenho com especialização em cartoons.