Depois de piada racista, showrunner de She-Ra revela que está comprometida a ajudar causa negra

She-Ra e As Princesas do Poder
Trecho do primeiro trailer da quarta temporada de She-Ra e As Princesas do Poder, série de animação da Netflix (Reprodução/YouTube – Netflix Kids & Family)

Na última semana, Noelle Stevenson, criadora de She-Ra e As Princesas do Poder, desenho da Netflix acabou ofendendo alguns fãs ao fazer uma piada inapropriada que foi considerada racista nas redes sociais, e pediu desculpas por isso, e agora, ela voltou às redes para mostrar que está comprometida com uma verdadeira mudança de comportamento.

Em uma live para os fãs, com outros roteiristas e profissionais da atração, ela debateu sobre os personagens do desenho original She-Ra, que não aparecem na nova versão como os irmãos do Arqueiro, nos Estados Unidos chamado de Bow. Nesta versão modernizada da história, Arqueiro é um rapaz negro, e disse em determinado episódio que tinham outros irmãos, e que os nomes deles rimavam com o seu. Isso foi o ponto de partida para a conversa online, em que Stenvenson brincou sobre um dos irmãos do personagem trabalhar no campo e se chamar Sow (que significa semear em inglês). Os fãs ouviram aquilo e ficaram decepcionados, já que há alguns séculos, os negros escravizados pelos Estados Unidos eram obrigados a trabalhar na área rural, então este nome seria no mínimo ofensivo para um personagem negro.

Nesta terça-feira, 01 de setembro, a autora voltou ao twitter: “Olá a todos! Na semana passada em uma transmissão ao vivo eu fiz um comentário que para mim, como uma pessoa branca, parecia inofensivo, mas evocou uma dolorosa história racista e magoou tanto os fãs negros de She-Ra quanto meus colegas negros na indústria da animação”, escreveu Stevenson. “Sinto muito pelos fãs de She-Ra que se machucaram e foram traídos pelo meu comentário. Sinto muito pelos profissionais negros que se sentem inseguros na indústria por causa do meu comentário, especialmente em um momento tão doloroso. Como alguém privilegiado o suficiente, tenho uma plataforma e um papel de liderança, então simplesmente não há desculpa para erros como esse acontecerem, e estou tomando medidas sérias para fazer o que puder para reparar o dano que causei”.

Ela continuou: “No momento, estou aproveitando para examinar o meu privilégio e remediar as lacunas na minha educação ‘antirracista’ e estou trabalhando com @mackmactlksback como consultor antirracismo para elaborar um plano para o futuro, ambos pessoalmente e profissionalmente. Eu me comprometo a contratar talentos negros em todos os níveis, e a criar um ambiente seguro e positivo onde as vozes dos funcionários, e de outras pessoas possam ser ouvidas e onde possam prosperar”, escreveu ela. “Além disso, me comprometo a contratar consultores antirracismo para garantir que o preconceito descuidado não passe e que o ambiente de trabalho seja seguro e positivo para funcionários de cor. Peço o apoio de todos os executivos e estúdios ao fazer isso”, explicou ela, dizendo que em casos que a contratação de talentos negros estiver fora do seu controle, ela fará o possível para conectar essas pessoas a outras oportunidade de trabalho, fazendo ainda doações para instituições que cuidem desta causa.

ankara escort