Depois de quase desistir de carreira, ator de The Good Place se surpreende com Emmy

William Jackson Harper em The Good Place
William Jackson Harper em The Good Place (Reprodução/ Netflix)

Nesta semana o Emmy, que está completamente 72 anos em 2020, divulgou sua lista de candidatos ao prêmio em diversas categorias, e uma delas foi uma bela surpresa: William Jackson Harper, indicado como melhor ator coadjuvante em série de comédia por sua atução em The Good Place, da Netflix. O ator ficou tão comovido que resolveu usar o Twitter para postar um vídeo falando sobre.

Ele explicou a seus seguidores sobre sua jornada, dizendo que era um constrangimento filmar um vídeo selfie em público e terminou com a revelação de que seus planos para o dia incluíam encontrar um tipo de psiquiatra para seu cachorro.

“Obrigado Television’s Academy. É uma honra enorme, enorme. Estou fora de mim. Vou fazer isso rápido porque estou do lado de fora e não quero ser aquele idiota que está gravando vídeos de si mesmo em público”, disse Harper. “Mas eu tenho que voltar porque, na verdade, estamos nos encontrando com psico-dog, porque Chico não está bem, e vamos tentar qualquer coisa para garantir que nosso menininho esteja bem”, disse ele.

Curiosamente, em uma entrevista anterior ao Huff Post, ele contou que antes de surgiu a oportunidade para atuar no programa estava prestes a abandonar a carreira. “Sinceramente, falta de estabilidade. Eu estava com 36 anos e feliz com muitas coisas na minha vida, no geral, mas não via como aquilo seria sustentável no futuro. Não dava para continuar daquele jeito. E estava me perguntando se ser ator me daria estabilidade, então foi assim que tudo começou. Acho que todo ator passa por isso, porque é muito difícil. É difícil e não é justo. Há muita gente incrivelmente talentosa que merece a chance que eu tive. Eu tive sorte. Então pensei: ‘Bom, o quanto posso depender desse golpe de sorte?’”, disse ele alertando que a maioria diferença de sua transição do teatro para a TV foi o fato de nas telas se trabalhar muito sozinho enquanto no teatro existe muito a parte de contar com o outro.