Desalma: Sonoplasta de Dark é contratado para nova série de suspense do Globoplay

Elenco da série Desalma da Globoplay (Reprodução)

Não se assuste caso ache muitas semelhanças entre Desalma, nova série da Globoplay e Dark, sucesso da Netflix. A produção que estreia no próximo dia 22 vai contar, não por acaso, com o sonoplasta Alexander Würtz, que também cuidou do áudio do drama alemão.

“O convite para ser um consultor criativo de uma série dramática sobrenatural foi muito emocionante, porque o desafio era priorizar cenas-chave. Analisamos como podíamos transpor e destacar sequências importantes e implementá-las em um design de som criativo”, explicou Würtz que também é responsável por fazer parte da equipe de O Vale Sombrio (2014) e Selvagem (2018).

Desalma gira em torno de uma história sobrenatural ambientada em Brígida, um vilarejo, localizado no sul do Brasil, habitado por imigrantes ucranianos. Apesar de passar longe de imagens violentas e demoníacas, o público pode esperar por rituais macabros, bruxaria e cenas de silêncio aterrorizantes.

O profissional de som destacou a mescla entre o mundo real e sobrenatural como o maior atrativo de Desalma. “Projetamos alguns momentos abstratos e sons característicos, por exemplo, os flashbacks de Anatoli [João Pedro Azevedo], para sublinhar a importância de várias cenas. A música é bem composta e posicionada –é por isso que foi mais fácil criar e implementar design de som para sequências dramatúrgicas importantes”, contou.

É a primeira vez que o alemão trabalha em uma produção brasileira e atribuiu o sucesso a parceria do diretor artístico Carlos Manga. “Usamos uma sonoridade que contrasta com a atmosfera do leste europeu que temos em relação à fotografia e composição de quadro. Por exemplo, a sonoridade do teclado dá um tempero pop em cima de uma imagem em que teoricamente você esperaria ouvir um violino. Assim, a gente pode usar o violino em momentos específicos”, explicou Manga.

Desalma aborda a trama de Haia (Cassia Kiss) uma mulher que vive o drama do desaparecimento da filha durante uma festa pagã há 30 anos, que deixou de acontecer nos últimos anos mas logo voltará a acontecer. O anúncio da volta do evento faz outras coisas sombrias e atividades paranormais começarem a acontecer na cidade.

Enquanto isso, Ignes (Cláudia Abreu) acredita que sua casa é mal-assombrada e seu filho, Anatoli, foi possuído por forças ocultas. Porém, o seu comportamento é desacreditado devido os seus desequilíbrios psicológicos e emocionais.

O suspense conta ainda com Giovana (Maria Ribeiro) uma nova moradora da cidade que passa a investigar a vida de Brígida e também os eventuais acontecimentos misteriosos do vilarejo.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.