Coisa em “Quarteto Fantástico” 2015 (Imagem: Reprodução)

Tim Miller obteve sucesso quando dirigiu “Deadpool” em 2016. O longa, estrelado por Ryan Reynolds, teve êxito comercial e alcançou ótimas críticas. Seu retorno para a sequência parecia certo, mas devido a divergências criativas ele deixou o projeto.

O trabalho da direção de “Deadpool 2” acabou ficando a cargo de David Leitch (Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw). O filme lançado em 2018 também foi um sucesso. A continuação arrecadou mais de US$ 785 milhões em bilheterias ao redor do mundo e teve uma boa recepção, com muitas críticas favoráveis. 

Quem viu o resultado do trabalho de Leitch até imagina que algumas coisas poderiam ser diferentes se Miller tivesse assumido o projeto. Em entrevista recente ao The Playlist, o diretor falou sobre suas ideias para o filme, e o resultado poderia até surpreender.

Ele revelou alguns detalhes do seu plano para a continuação de Deadpool e o destaque fica para a presença do personagem Coisa. Miller conta que havia recebido permissão para ter o membro do “Quarteto Fantástico” em umas das cenas de ação do filme. Segundo conta, ele apareceria na mesma passagem em que teve o Fanático, mutante com super resistência e força, incluído na versão final do longa.

Outra parte de “Deadpool 2” também poderia ser diferente da que chegou aos cinemas em 2018. A personagem Vanessa, interpretada pela atriz brasileira Morena Baccarin, teria mais destaque na trama, sendo este o ponto que deixou o diretor mais chateado.

O cineasta conta que Vanessa teria se transformado na heroína Copycat, que tem o poder de assumir a forma de outro ser vivo, adquirindo assim os poderes de outros heróis e vilões. Miller ainda revela que mesmo saindo do projeto tentou convencer os chefes da Fox a não descartarem a sua ideia e manterem a história de Vanessa. No entanto, isso não aconteceu.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui