Descubra se lançamento da HBO Max será adiado por causa do coronavírus

Jason Kilar
Jason Kilar (Divulgação)

O novo coronavírus conseguiu mexer tanto com a indústria do entretenimento que cinemas foram fechados, e com isso estreias adiadas, e mesmo os programas de televisão sofreram com isso, já que suas produções não podem continuar como forma de preservar suas equipes. Mas essa crise não se abateu sobre o streaming que continua sendo um alento para as pessoas que se encontram em distanciamento social, enquanto vê sua audiência aumentar exponencialmente.

Com isso, a WarnerMedia pretende lançar seu novo serviço de streaming, o HBO Max exatamente em maio conforme já era previsto, e isso foi dito pelo próprio CEO da empresa, Jason Kilar em um evento que aconteceu nesta quarta-feira, 01 de abril. Ele foi anunciado como novo CEO e assumirá as atividades a partir do dia 01 de maio no lugar de Jonh Stankey, que havia anunciado anteriormente que a data de lançamento da plataforma seria mantida.

“Nós tivemos que reorientar a forma como os nossos negócios operam nesse inexplorado cenário em que vivemos e os nossos líderes maiores estão trabalhando juntos para adaptar e executar a plataforma de maneiras novas”, disse ele.

A HBO Max planeja investir cerca de 2 bilhões de dólares em produções originais, como filmes, e séries como Gossip Girl, Lanterna Verde, Strange Adventures e House of The Dragons, spin-off de Game of Thrones, e estima que dentro de cinco anos tenha pelo menos 90 milhões de assinantes no mundo todo.

Ainda não há uma data para o serviço chegar ao Brasil, mas estima-se que as negociações na América Latina só aconteçam em 2021. O serviço nos Estados Unidos, custará 15 dólares mensais, o que significa que ele é mais caro que os demais concorrentes já que por lá a Netflix custa 13 dólares, enquanto Disney Plus cobra 7 dólares, um pouco mais que a AppleTV+ que tem o preço de 5 dólares ao mês.

 

Comentários