Destaque de Game of Thrones, Charles Dance revela trauma

Vera Farmiga e Charles Dance em Godzilla II: Rei dos Monstros (Foto: Warner)

Aos 73 anos de idade, e com 40 de carreira, o ator Charles Dance, conhecido como Tywin Lannister em Game of Thrones desabafou sobre os vários  vilões que interpretou. Embora tenha feito uma infinidade de papéis no teatro, e cinema, são os malvados que conquistaram as pessoas, o que acabou fazendo com que ele fosse chamado mais vezes para viver esse tipo de personagem.

“Muitas vezes, se você faz algo razoavelmente bem, pedem para que você o faça novamente. Tenho que ganhar a vida, então tento lidar com as mudanças o máximo que posso. Mas todos nós somos vistos como certos tipos de atores. Vou interpretar que costumo interpretar vilões. E é verdade”, disse em entrevista ao canal britânico iTV.

Os malvados favoritos de Charles Dance

“Mas houve um tempo em que eu era um galã. Gosto de peculiaridades. Se eu conseguir encontrar uma peculiaridade, é o que provavelmente vou buscar. Vou olhar uma parte da página e pensar: ‘Isso me faz fluir?’ Pode ser que não, mas acho que há algo que posso fazer com isso para assumir o papel. Para ser honesto, gosto de trabalhar”, disse ele que interpretou Claus, no filme 007 – Somente para Seus Olhos, lançado em 1981, e lá para cá fez diversos perfis malvados.

Há dois anos, ele viveu o antagonista principal do filme Godzilla II: Rei dos Monstros. Felizmente para Charles, ele teve a chance de desempenhar um papel diferente em seu mais recente projeto, The Singapore Grip, série do canal iTV. Por lá, ele interpreta o velho Sr. Webb, um empresário peculiar em Cingapura durante a Segunda Guerra Mundial, cuja saúde debilitada o leva a encorajar seu filho Matthew a assumir o comando.

Falando sobre o que o atraiu para o papel, Charles disse: “Eu fiz isso por causa do escritor, Christopher Hampton. Estávamos em um jantar pré-BAFTA e ele estava falando sobre isso. Ele me disse: ‘Você provavelmente não vai querer fazer isso’, mas ele é um excelente escritor e este é um trabalho substancial”, concluiu.