Diretor de Festival Eurovision da Canção explica como conseguiu reproduzir palco do concurso original

David Dobkin, diretor de Eurovision
David Dobkin, diretor de Eurovision (Reprodução)

O filme Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars estreou há pouco tempo na Netflix, e já está dando o que falar. Seu diretor, David Dobkin, contou em entrevista à revista Variety que não fazia ideia do que era o concurso musical até o roteiro chegar em suas mãos, mas quando passou a pesquisar um pouco mais, ele adorou tudo que viu, e com isso resolveu montar um time poderoso que conseguisse transformar aquela magia do palco original, em algo que tivesse dentro do orçamento.

Segundo o diretor, o filme é quase como uma carta de amor à competição europeia, e ele buscou transformar isso em imagens, primeiro tentando encontrar um lugar que representasse a cidade em que os protagonistas cresceram.

“As competições de eliminação para a Islândia foram realizadas em Reykjavik, mas nossa principal prioridade era encontrar uma cidade pequena. Exploramos cidades pequenas e selecionamos duas. Vimos como eles tocavam no contexto de nossas outras decisões visuais e acabamos filmando em Húsavík [ao longo da costa norte], porque ela fluía com a ideia do lugar em que Lars cresceu e teve que voltar. O arco central emocional é: não há lugar como o lar. É uma jornada de ‘Mágico de Oz’ de certa forma”, começou ele.

Paul Inglis, designer de produção foi responsável por fazer o projeto do palco do Eurovision fictício, filmado nos estúdios da Warner Bros. em Watford, na Inglaterra. “Era enorme – 76 metros de comprimento. A característica dominante era o telão, com 24 metros de largura e 7 metros de altura. Usamos o VFX para adicionar o restante da arena de assentos e o amplo palco, mas ainda assim construímos grande parte disso. Também tivemos que criar animações para cada ato que você vê no telão. Trabalhamos com o Territory Studio no Reino Unido, que forneceu essas animações. Embora você veja apenas trechos das músicas no filme, nós filmamos todas as músicas na íntegra e tivemos programas de luz e vídeo programados para cada uma delas”.