Diretor de fotografia de The Batman dá pista sobre a história do filme

Greg Fraser
Greg Fraser (Divulgação/ LucasFilm)

Com a falta de grandes detalhes até mesmo em relação à sua história, e com as filmagens paralisadas, é grande a curiosidade em torno de The Batman, novo filme do herói, protagonizado por Robert Pattinson, e dirigido por Matt Reeves. Mas o diretor de fotografia, Greg Fraser (que já trabalhou em O Mandaloriano) deu um vislumbre sobre o que o projeto pode vir a ser.

Segundo ele em entrevista ao site Collider, o filme é baseado em personagens, e não apenas Bruce Wayne estará no centro da história, como também Alfred, que no longa será interpretado por Andy Serkis. Inicialmente o profissional disse que não poderia adiantar absolutamente nada sobre o filme, temendo acabar entregando algum spoiler.

“Eu não posso dizer nada. Eu posso lhe dizer apenas é que alguns dos atores que participaram, e já foram embora disseram que é um filme baseado em personagens, e sobre personagens, principalmente sobre o de Andy Serkis e Robert Pattinson. É um roteiro muito bom, como todos os roteiros de Matt. É muito bem pensado”, disparou.

“Estamos empolgados. Estamos dando o nosso melhor. É muita pressão. Não acho que Matt faça filmes sem pressão. Para fazer a versão americana de Deixa Ela Entrar, foi uma pressão enorme, Planeta dos Macacos, os quais eu acho que muita gente se interessa, é muita pressão. Então Batman também tem essa pressão. Ele é um diretor corajoso”.

Sobre a fotografia, quando as primeiras imagens saíram deixaram a impressão de que tudo estava escuro demais, e Fraser explica que a intenção não é fazer uma competição com Nolan, sobre o quão sombrio um filme do Batman pode ser: “Com certeza, há trevas no personagem e precisamos criar um clima, o que é óbvio, é um filme do Batman. Não acho que seja opressivamente escuro em termos visuais, porque não é isso que estamos tentando fazer”.

“Não estamos tentando ter uma competição sobre quem pode ficar mais sombrio entre os mais sombrios dos mais sombrios. Estamos tentando criar a intriga visual dos quadrinhos. Você pode ver com bastante clareza nessas revistas. É um trabalho árduo, mas gratificante”, concluiu.