Diretores de cinema têm uma nova preocupação: atores não querem voltar a filmar pós pandemia

Tom Hardy como Venom (Imagem: Divulgação)

O governo do Reino Unido divulgou nesta segunda-feira, 01 de junho, medidas para que a indústria cinematográfica volte a funcionar, e com isso outros países estão querendo seguir alguns protocolos como é o caso do Canadá. O problema para os diretores de cinema nesse momento é que muitos dos atores não querem voltar a ficar frente às câmeras tão cedo.

Diferente do que Bob Chapek, CEO da Disney havia afirmado anteriormente, sobre as pessoas terem uma demanda reprimida para irem ao cinema, e voltar às suas atividades normais, isso não se aplica a alguns atores que estão com medo de voltar a ter contato com pessoas, visto que os sets são repletos de profissionais, e acabarem se contaminando.

A incerteza acabou tomando conta de todos, e foi um dos motivos de conversa de alguns cineastas com a revista Vanity Fair. Entre os profissionais ouvidos, estava o produtor Dan Wilson, que está trabalhando em um reboot de Esqueceram de Mim para o Disney Plus, e em Venom: Tempo de Carnificina. Ele explicou que será um grande desafio satisfazer a todas as preocupações que as pessoas têm nesse momento, de forma que seja possível atender a todas as expectativas do mercado.

“Todos esses ótimos atores e pessoas com quem trabalhamos têm seus próprios pensamentos sobre voltar. Mas estamos construindo um plano que coloque o máximo de proteção possível em torno deles”, explicou, ele que estava começando os trabalhos de pós-produção do filme da Sony quando foi interrompido pela pandemia.

“Ninguém quer voltar para um ambiente de risco e isso vale para a equipe também, não só os talentos. Há um nervosismo, que é natural e compreensível. Levamos isso em consideração nos nossos planos. Veremos quando estivermos lá, acho”, disparou.

Wilson está trabalhando atualmente com Hutch Parker, mais conhecido por Logan, que também relatou a dificuldade. “Conversei com alguns que pensam ‘você sabe o que? Estou tirando um ano de folga. Estou apenas esperando’. São particularmente alguns atores mais velhos que não querem se arriscar mais. Outros parecem um pouco mais confiantes e um pouco mais ansiosos. Parece-me que todos assistimos as notícias e monitoramos o que está acontecendo em diferentes partes do país, mas existe uma diversidade de reações dentro da nossa indústria, que talvez seja a mesma que estamos vendo em diferentes cidades”, explicou.