Discursando em protesto, Michael B. Jordan faz pedido para indústria de Hollywood

Michael B. Jordan (Reprodução)

Michael B. Jordan discursou em um protesto nos Estados Unidos neste fim de semana contra a brutalidade policial, e destacou a importância de as empresas, sobretudo estúdios de Hollywood, de contratarem profissionais negros.

“Vocês se comprometeram com uma paridade de gênero de 50/ 50 em 2020. Onde está a dificuldade na contratação de negros? Fazer conteúdos escritos por negros, executivos e consultores negros? Vocês também estão policiando nossas histórias. Vamos levar nossa escuridão para a luz”, disse ele em um determinado momento.

“O que estamos fazendo hoje fará com que nossos valores sejam ouvidos e nossas vozes sejam ouvidas. Temos que continuar agitando as coisas. Não podemos ser complacentes. Não podemos deixar esse momento passar por nós, temos que continuar a colocar o pé no pescoço deles”, continuou o ator que fez menção à violência policial que matou o segurança George Floyd, asfixiado.

O protesto que o ator participou contou com a presença de centenas de pessoas em Los Angeles, e segundo notícias locais, o grupo marchou por diversas horas. Em outro momento, B. Jordan, disse que muitos dos papéis que viveu, fizeram com que ele enxergasse a situação em que ele mesmo estava encaixado. Segundo o astro, interpretar Oscar Grant, homem que foi morto pela polícia em 2009, no filme Fruitvale Station, fez com que ele tivesse “a oportunidade de sentir a dor da sua família, sua filha, sua mãe. Eu vivi com isso por muito tempo, e isso me pesa”.

O ator também interpretou o advogado Bryan Stevenson, no filme Luta por Justiça, que a Warner Bros colocou gratuitamente para streaming na última semana para que as pessoas pudessem entender mais sobre racismo sistêmico. “Aprendi suas táticas. Aprendi sua mentalidade. Aprendi sua abordagem das coisas. Muito calmo. Muito estratégico. Muito atencioso. É preciso estar próximo das questões”, disse ele.